Edição do dia

Quinta-feira, 22 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nevoeiro
23.9 ° C
27.6 °
22.9 °
88 %
2.1kmh
75 %
Qui
24 °
Sex
21 °
Sáb
20 °
Dom
21 °
Seg
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Residência para Idosos está em remodelações e deverá estar pronta no quarto...

      Residência para Idosos está em remodelações e deverá estar pronta no quarto trimestre

      A construção da Residência para Idosos foi concluída no mês passado e está actualmente na fase da remodelação de interiores das casas e do ‘clubhouse’ do complexo. O Instituto de Acção Social (IAS) prevê que as obras estejam prontas no terceiro trimestre, pelo que deverá receber moradores, o mais cedo possível, no quarto trimestre. Recorde-se que o organismo recebeu mais de 1.500 candidaturas na primeira fase do projecto de Residência para Idosos.

       

      O Instituto de Acção Social (IAS) admite que os trabalhos de remodelações dos interiores para a Residência para Idosos ainda vão levar algum tempo, por isso, a sua entrada em funcionamento está agendada para o quarto trimestre, apesar de a construção do prédio ter sido concluída no mês passado.

      A afirmação surgiu na sequência de uma queixa feita por um residente no programa matinal Fórum Macau da Rádio Macau no canal chinês. Um residente de apelido Chan, que se identificou como idoso, ligou ao programa e queixou-se do processo lento de atribuição de residência no âmbito do projecto da Residência para Idosos, incluindo a análise de candidaturas. “Quando submetemos a candidatura, demos a autorização para permitir a consulta dos nossos dados sobre a habitação e o registo de entrada e saída, [o Governo] usa a consulta electrónica entre os departamentos, será que isso demora muito tempo? Porque é que ainda não foi feita a análise de candidaturas até hoje?”, questionou.

      Em resposta, Choi Sio Un, chefe do Departamento de Solidariedade Social do IAS, explicou que as obras de remodelação estão previstas para serem concluídas no terceiro trimestre deste ano. “Todos os equipamentos, mobílias, electrodomésticos e outras instalações das casas, bem como do ‘clubhouse’, são sujeitos a obras, o que envolve 1.800 apartamentos e todo o ‘clubhouse’, pelo que precisa de tempo para a realização do trabalho”, indicou, em declarações ao programa da Rádio Macau. Choi Sio Un pediu a compreensão do público e garantiu que está a fazer preparativos para os idosos começarem a mudar-se para a Residência para Idosos no quarto trimestre.

      O IAS recebeu mais de 1.500 candidaturas, envolvendo mais de 2.300 pessoas, à Residência para Idosos, onde serão fornecidas 759 unidades residenciais na sua primeira fase. Choi Sio Un frisou que cerca de mil pessoas submeteram a candidatura em papel, sendo que os funcionários do IAS tiveram de introduzir as informações no sistema. “Juntamente com o facto de que cerca de 10% das candidaturas não continham informações suficientes, é necessário um período de tempo para verificarmos todas as informações”, sublinhou. O representante do IAS disse que vai avançar posteriormente a avaliação dos candidatos sobre a capacidade de autocuidado para viver no domicílio.

      Além disso, os Serviços de Saúde afirmaram que na Residência para Idosos vai haver uma instalação de serviço de reabilitação. Segundo o organismo, os serviços “respondem às necessidades dos idosos” e deverão fornecer terapia da fala e terapia ocupacional, que vão entrar em funcionamento em simultâneo da ocupação da Residência para Idosos.

       

      CAIXA

       

      Especialidade oncológica sem “pressão de espera”

       

      O tempo de espera para a primeira consulta na Especialidade Oncológica do Centro Hospitalar Conde de São Januário é inferior a oito semanas e, para já, não se verifica uma situação de pressão na fila de espera, afirmou o director do Hospital, Kuok Cheong U. O médico disse que a taxa de incidência de cancro em Macau não sofreu alteração significativa nos últimos anos, tendo registado uma média de mais de 2.000 casos detectados anualmente. À margem de um evento de comemoração do Dia Mundial de Combate ao Cancro no domingo, Kuok Cheong U indicou que o cancro do pulmão é o cancro mais fatal entre os residentes, seguido do cancro da mama e o cancro colorrectal. O responsável disse esperar que se preste um serviço maior e adequado quando o Hospital das Ilhas entrar em pleno funcionamento em Setembro.