Edição do dia

Segunda-feira, 4 de Março, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
16.9 ° C
18.9 °
16.9 °
94 %
2.6kmh
40 %
Dom
20 °
Seg
22 °
Ter
23 °
Qua
24 °
Qui
19 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Economia Lucros da banca caem para menos de metade em 2023

      Lucros da banca caem para menos de metade em 2023

      Os bancos de Macau registaram lucros de 6,14 mil milhões de patacas em 2023, menos 53,5% do que no ano anterior. A principal razão para a diminuição dos lucros foi uma queda de 11,4%, para 19,5 mil milhões de patacas, na margem de juros, a diferença entre as receitas dos empréstimos e as despesas com depósitos.

       

      Segundo dados da Autoridade Monetária de Macau (AMCM), a queda deveu-se a um desempenho negativo no último trimestre do ano passado, período em que a banca da RAEM perdeu 4,09 mil milhões de patacas. Nos primeiros nove meses de 2023, os bancos de Macau tinham acumulado lucros de 10,2 mil milhões de patacas, mais 10,2% do que em igual período do ano anterior.

      A principal razão para a diminuição dos lucros foi uma queda de 11,4%, para 19,5 mil milhões de patacas, na margem de juros, a diferença entre as receitas dos empréstimos e as despesas com depósitos. Isto apesar da AMCM ter aprovado três aumentos da principal taxa de juro de referência em 2023, a última das quais uma subida de 0,25 pontos percentuais, introduzida em Maio, seguindo a Reserva Federal norte-americana.

      Os empréstimos ao sector privado em Macau, a principal fonte de receitas da banca a nível mundial, diminuíram 14,2% em comparação com o final de 2022, fixando-se em 1,09 biliões de patacas. Também os depósitos junto dos bancos do território caíram 3,1% durante o ano de 2023, para 1,22 biliões de patacas.

       

      Depósitos de não-residentes desceram 12,4% em Dezembro

       

      De acordo com dados publicados ontem pela Autoridade Monetária e Cambial de Macau, em Dezembro do ano passado os depósitos de não-residentes decresceram 12,4%, totalizando as 323,7 mil milhões de patacas. Em um mês, também desceram os depósitos dos residentes em 0,2%, chegando às 706,2 mil milhões de patacas. Os depósitos do sector público, esses decresceram para 193,5 mil milhões, representando uma descida de 4,3%. Assim sendo, em suma, em Dezembro o total dos depósitos da actividade bancária registou uma baixa de 4,3%, tendo atingido 1.223,4 mil milhões de patacas.

      Inversamente, registaram-se aumentos de 0,5% na circulação monetária, e de 2,4% nos depósitos à ordem. As responsabilidades quase monetárias decresceram 0,5%, indicou ainda a nota da AMCM. A soma destes elementos atingiu os 726,6 mil milhões de patacas, descendo 0,3% em relação a Novembro de 2023.

      Relativamente aos empréstimos internos ao sector privado, estes desceram 1,2% em Dezembro (538,3 mil milhões). Entre Outubro e Dezembro de 2023, os empréstimos bancários relacionados com “electricidade, gás e água” e “construção e obras públicas” aumentaram 4,3% e 1,7%, respectivamente, quando comparado com o trimestre anterior. Os empréstimos concedidos ao sector do “comércio por grosso e a retalho” e dos “restaurantes, hotéis e similares” registaram descidas de 11,1% e 7,4%, respectivamente. Relativamente aos empréstimos ao exterior, estes decresceram 7,4% (555,1 mil milhões).

      O Produto Interno Bruto (PIB) de Macau cresceu 116,1% nos primeiros nove meses de 2023, em comparação com igual período de 2022, após quase dois anos consecutivos em queda, uma recuperação “impulsionada pelo desempenho” do turismo e do jogo. Ainda assim, a Direcção dos Serviços de Estatística e Censos sublinhou em Novembro que a economia da região ainda só representa 77,4% dos níveis registados antes da pandemia de covid-19.

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau