Edição do dia

Segunda-feira, 26 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
13.9 ° C
15.9 °
13.9 °
77 %
6.2kmh
40 %
Dom
15 °
Seg
19 °
Ter
19 °
Qua
20 °
Qui
22 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Ella Lei lamenta falta de melhorias nas instalações complementares de trânsito em...

      Ella Lei lamenta falta de melhorias nas instalações complementares de trânsito em Ká-Hó

      A deputada Ella Lei enviou uma interpelação escrita ao Executivo pedindo a melhoria de serviços de autocarros e instalações complementares de trânsito em Ká-Hó. Salientou no documento que existe apenas uma carreira de autocarro público que liga a Península de Macau e a zona do Terminal de Combustíveis do Porto de Ká-Hó, com longo percurso e baixa frequência. Desta forma, a deputada solicitou a abertura de carreiras expresso para responder à necessidade das pessoas que visitam as instalações de serviços sociais em Ká-Hó.

       

      Notando o aumento de procura de transporte por parte dos residentes e turistas para chegar a Ká-Hó devido à abertura das instalações adicionais de serviços médicos e sociais e promoção turística e cultural, a deputada Ella Lei lamentou a inconveniência dos meios de transporte públicos que ligam à zona, bem como a falta de lugares para estacionamento, cujo problema “não foi nada melhorado”.

      Ella Lei abordou a questão numa interpelação escrita apresentada ao Executivo, indicando que existe actualmente apenas uma carreira de autocarro público, que é a carreira 21A, que viaja da Península de Macau para a zona do Terminal de Combustíveis do Porto de Ká-Hó, onde se concentram as instalações de serviços sociais e as atracções turísticas e paisagísticas.

      Segundo Ella Lei, a carreira passa por 37 paragens do Centro Modal de Transportes da Barra para o Terminal de Combustíveis do Porto de Ká-Hó, e a viagem de regresso tem de passar por 39 paragens. “Esta é a linha de autocarro com o maior número de paragens de Macau. A quilometragem de viagem é de 44,66 quilómetros, é a segunda linha de autocarros mais longa do território”, disse.

      “Devido à longa distância percorrida por esta carreira, que cobre quase metade de Macau, a frequência das partidas é relativamente baixa”, destacou. Ella Lei apontou que o volume de passageiros da carreira 21A é muito elevado, uma vez que muitos turistas a utilizam para chegar às zonas turísticas do Cotai até à Praia de Hac-Sá, fazendo com que os autocarros estejam sempre cheios. “É difícil entrar no autocarro, o que é particularmente inconveniente para os residentes que visitam frequentemente as suas famílias nas instalações de serviço social em Ká-Hó”, lamentou.

      A também vice-presidente da Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM) disse ter recebido relatos de residentes alertando que, em caso de congestionamento do trânsito nas horas de ponta, uma viagem de ida e volta de Ká-Hó “pode demorar quase três horas”.

      Desse modo, Ella Lei sugeriu o relançamento da carreira expresso 21AS, que passa pela Barra para o leste do Cotai e a Estrada da Barragem de Ká-Hó, reduzindo o percurso e permitindo chegar directamente à Barragem de Ká-Hó sem passar por Seac Pai Van e pela Vila de Coloane. A carreira expresso 21AS, recorde-se, operou temporariamente durante o confinamento da cidade em Julho de 2022, quando a maioria das carreiras de autocarro públicas pararam o funcionamento.

      “Os funcionários e os visitantes das instalações de serviços sociais em Ká-Hó consideram que as actuais frequências dos autocarros não conseguem satisfazer as suas necessidades de viagem, e têm transmitido às autoridades ao longo dos anos a sua esperança de ter carreiras adicionais que viajam pelo Túnel de Ká Hó para encurtar a distância e o tempo de viagem”, observou Lei, pedindo a resolução do problema por parte do Governo.

      Além disso, a deputada sublinhou que há residentes que optam por se deslocar de carro para Ká-Hó “devido à inconveniência dos transportes públicos”, mas também se deparam com o problema da falta de lugares de estacionamento. Ella Lei questionou também as autoridades para divulgarem um plano para aumentar o número de lugares de estacionamento para veículos ligeiros, de modo a facilitar as deslocações dos residentes para Ká-Hó.