Edição do dia

Quarta-feira, 28 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
15.9 ° C
18.9 °
15.9 °
77 %
2.1kmh
40 %
Qua
20 °
Qui
21 °
Sex
17 °
Sáb
15 °
Dom
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Ásia Autoridades japonesas pedem precaução na zona do sismo devido ao mau tempo

      Autoridades japonesas pedem precaução na zona do sismo devido ao mau tempo

      As autoridades japonesas pediram ontem precaução redobrada devido ao temporal de chuva e neve nas zonas afetadas pelo sismo de 1 de Janeiro, no qual morreram mais de 200 pessoas, indica o último balanço oficial.

       

      Um sismo forte de magnitude 6,0 ocorreu ontem no mar a cerca de 60 quilómetros a oeste da ilha de Sado, no centro do Japão, sem alerta de ‘tsunami’, anunciou a agência meteorológica japonesa JMA. O terramoto submarino foi registado pouco antes das 18:00 locais, disseram as autoridades locais, citadas pela agência francesa AFP. O sismo abalou uma parte da costa do Mar do Japão e, em particular, a mesma zona que foi devastada em 1 de Janeiro por um terramoto magnitude 7,5 que matou 202 pessoas.

      Os serviços de geofísica japoneses consideraram que a actividade sísmica pode prolongar-se por cerca de um mês e pediram precaução, tendo em conta que o mau tempo pode causar aluimentos de terra e avalanchas ou o desmoronamento de edifícios e casas já instáveis.

      Cerca de 28 mil pessoas continuam deslocadas e milhares de residências estão ainda sem energia, quando os termómetros marcam temperaturas negativas nas áreas afectadas, levando as autoridades a pedir atenção a possíveis situações de hipotermia.

      As equipas de socorro continuam as operações de busca pelos desaparecidos, cujo número tem variado devido às dificuldades de contagem em zonas isoladas devido ao corte de estradas danificadas no sismo.

      Mais de seis mil militares japonesas integraram as equipas de socorro locais nas operações de resgate e também de abastecimento.

      O Governo japonês anunciou que vai destinar mais de 4,7 mil milhões de ienes (cerca de 30 milhões de euros) dos fundos de reserva para enviar ajuda humanitária para a península de Noto.

      Numa reunião, o executivo do primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, aprovou esta ajuda especial para despesas de primeira necessidade, incluindo comida, água e combustível, nas zonas mais afectadas pelo sismo. O Governo começou também a traçar planos de reconstrução, a meio e a longo prazo, e medidas de ajuda para as vítimas da catástrofe, disse a NHK.

       

      Número de mortos após sismo no Japão subiu para 202

       

      O sismo de 1 de Janeiro no centro do Japão matou 202 pessoas, sendo que 102 ainda estão desaparecidas, segundo um novo balanço provisório divulgado ontem pelas autoridades de Ishikawa, onde ocorreu o desastre. O último balanço oficial do sismo na península de Noto dava conta de 180 mortos, 565 feridos graves e 120 desaparecidos, sobretudo nas cidades de Wajima e Suzu.

      As equipas de socorro continuam as operações de busca pelos desaparecidos, cujo número tem variado devido às dificuldades de contagem em zonas isoladas, com acesso dificultado pelo corte de estradas danificadas no sismo.

      Mais de três mil habitantes da península continuam isolados do mundo enquanto aguardam socorro, atrasado pela chuva, neve e deslizamentos de terra. Lusa

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau