Edição do dia

Quarta-feira, 28 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
14.9 ° C
15.9 °
14.9 °
77 %
4.1kmh
40 %
Qua
20 °
Qui
21 °
Sex
17 °
Sáb
16 °
Dom
18 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Cultura Arte orgânica em madeira e prata de Cristina Vinhas na Fundação Rui...

      Arte orgânica em madeira e prata de Cristina Vinhas na Fundação Rui Cunha

      Cristina Vinhas, conhecida artista de joalharia, leva as suas criações orgânicas de prata e madeira à galeria na Fundação Rui Cunha, numa inauguração que contará com a actuação de um músico de Erhu, instrumento de corda chinês que vem complementar peças inspiradas a partir das montanhas de Lushan.

       

      A exposição de joalharia “When West Meets East”, de Cristina Vinhas, que começa esta terça-feira, dia 9, na Fundação Rui Cunha, reúne trabalhos da artista sediada em Macau que possuem a característica de terem sido inspiradas a partir do elemento Madeira. A colecção de 12 peças de joalharia em madeira e prata, esclareceu a entidade organizadora, foi criada a partir de texturas e formas orgânicas como troncos e pedaços de madeira reclamada ao mar. Ao serem reutilizados e fundidos com metais nobres, estes pedaços de madeira do mar “ganham novo significado criativo”. A mostra individual inclui uma colecção de colares, pulseiras, pregadeiras e outros objectos de adorno, cujas formas “remetem para imagens livres da natureza, como as montanhas, rios, cascatas, estuários, penhascos e outras referências das terras do Oriente, que têm sido fonte de inspiração para a obra da artista na última década e meia”, referiu ainda a organização.

      Segundo Cristina Vinhas, a mostra reflecte a marcante influência da cultura chinesa no seu trabalho criativo. A representação da “paisagem, dos elementos da natureza”, continua a ser a sua “grande fonte de inspiração”, onde vai “carregar e revitalizar energias”, confessa. A combinação entre a madeira e a prata é a sua forma de interpretar a natureza, interpretação que ao ser combinada com os sons do Erhu, instrumento de corda chinesa, cria uma experiência que Cristina Vinhas diz querer convidar a que se visite. É por isso que no dia da inauguração, às 18h30, o músico Lio Um estará presente com o seu Erhu, e assim a
      música tradicional chinesa irá “envolver os convidados e o público na experiência”, e acompanhar “o movimento natural” das peças em destaque saídas da sua recente viagem às montanhas de Lushan, Província de Jiujiang, no passado mês de Outubro.

      Cristina Vinhas é uma joalheira profissional nascida em Vila do Conde, Portugal. Iniciou a sua carreira em 2003, após terminar o curso no CINDOR – Centro de Formação Profissional da Indústria do Ouro e da Relojoaria. Em 2007 mudou-se para Macau e tornou-se formadora e coordenadora das oficinas de joalharia na Casa de Portugal em Macau, que tem apoiado a artista na cedência do atelier para a execução das suas obras de arte. Em paralelo, tem continuado a desenhar e a criar colecções próprias para a indústria portuguesa de joalharia. Além de inúmeras exposições individuais e colectivas, a artista participa regularmente em feiras e festividades para as comunidades locais. As suas obras encontram-se desde 2010 à venda na loja do Museu de Arte de Macau.

      A exposição de joalharia “When West Meets East”, de Cristina Vinhas, vai estar patente na galeria da Fundação Rui Cunha na Avenida da Praia Grande até ao dia 20 de Janeiro.