Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nevoeiro
18.9 ° C
18.9 °
17.9 °
77 %
3.1kmh
40 %
Qui
21 °
Sex
17 °
Sáb
16 °
Dom
20 °
Seg
22 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Economia Economia poderá crescer até 21% no próximo ano

      Economia poderá crescer até 21% no próximo ano

      O Centro de Estudos de Macau e o departamento de Economia da Universidade de Macau (UM) estimam que no próximo ano o crescimento económico da região seja entre os 8,3% e os 21%. A equipa de investigação diz também que a média dos rendimentos mensais dos residentes irá crescer entre 4,9% e 5,6%.

       

      Foram divulgadas ontem as previsões macroeconómicas para 2024 do Centro de Estudos de Macau e do departamento de Economia da Universidade de Macau (UM), que apontam para um crescimento da economia local entre os 8,3% e os 21%.

      Além disso, as projecções apontam para um crescimento das exportações de serviços entre 10,3% e 26,7% e receitas correntes da RAEM entre 95,3 mil milhões de patacas e 109,6 mil milhões de patacas.

      Por outro lado, as estimativas da equipa de investigação apontam também para um crescimento do consumo privado que pode oscilar entre os 5,3% e os 5%. A taxa de inflação poderá, segundo o estudo, crescer 2,4% ou 3,3%. A equipa de investigação diz também que a média dos rendimentos mensais dos residentes irá crescer entre 4,9% e 5,6%. Segundo o estudo, a taxa de desemprego poderá cair até aos 1,9%.

      A equipa de investigação prevê que Macau irá enfrentar incertezas quanto ao desenvolvimento económico do interior da China em 2024: “a contração do mercado imobiliário, bem como a dívida pública e empresarial local afectarão os rendimentos dos residentes, levando a uma diminuição do seu interesse e poder de compra em viajar para Macau”, lê-se na nota de imprensa, que acrescenta que, por isso, a equipa de investigação formulou dois cenários: um que pressupõe que o abrandamento do crescimento económico da China continental terá menos impacto em Macau; e outro cenário que pressupõe que o abrandamento do crescimento económico da China continental terá um maior impacto em Macau.

      Macau alterou a sua política anti-epidémica em Dezembro de 2022, após quase três anos de fortes restrições fronteiriças, e as estimativas assinalam que as chegadas de visitantes começaram a recuperar em 2023, com as chegadas de visitantes de Hong Kong a recuperar mais rapidamente, atingindo 5,95 milhões entre Janeiro e Outubro de 2023, o que representou 97,1% do mesmo período em 2019. As chegadas de visitantes do continente atingiram 15,32 milhões entre Janeiro e Outubro de 2023, representando 64,4% do mesmo período em 2019. No entanto, a recuperação das chegadas de visitantes de outras regiões foi mais lenta, com 1,42 milhões de chegadas entre janeiro e outubro de 2023, apenas 40,7% do mesmo período em 2019.

      Com base na recuperação do turismo, as exportações de serviços atingiram 200,9 mil milhões de patacas nos primeiros três trimestres de 2023, representando 79,6% do mesmo período de 2019. No entanto, as exportações de serviços de jogos recuperaram mais lentamente, tendo sido de apenas 101,1 mil milhões de patacas nos primeiros três trimestres de 2023, representando 56,1% do mesmo período de 2019. Relativamente à procura interna, tanto o consumo privado como o investimento recuperaram bem.