Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
14.9 ° C
14.9 °
14.9 °
77 %
8.8kmh
40 %
Qui
15 °
Sex
16 °
Sáb
14 °
Dom
20 °
Seg
21 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Economia Medalha do Governo reflecte "história longa e bem-sucedida" da Hovione em Macau

      Medalha do Governo reflecte “história longa e bem-sucedida” da Hovione em Macau

      A Hovione, empresa farmacêutica fundada em 1959 em Portugal e que se estabeleceu em Macau em 1986, foi uma das agraciadas pelo Governo de Macau com uma medalha de Mérito Industrial e Comercial. Eddy Leong, director-geral da empresa em Macau, comentou que a distinção é “uma grande honra”. Já Felizbina Carmelita Gomes, que vai receber a medalha de Mérito Educativo, disse estar “muito grata e satisfeita”.

       

       

       

      A Hovione disse que a agraciação pelo Governo de Macau no 24.º aniversário da RAEM é “uma grande honra” e reflecte a “longa e bem-sucedida” história da farmacêutica portuguesa no território. A Hovione, fundada em 1959 e estabelecida em Macau em 1986, vai receber em Janeiro a medalha de Mérito Industrial e Comercial, foi anunciado na terça-feira.

      “É para nós uma grande honra ter recebido esta medalha de mérito”, começou por reagir o director-geral da empresa em Macau, Eddy Leong, expressando “gratidão ao Governo” e a “todos os sectores da sociedade pelo reconhecimento dos quase 40 anos de trabalho” local.

      “Na Hovione, gostamos de dizer que estamos ‘nisto para a vida’ e sinto que este prémio reflecte não só a nossa longa e bem-sucedida história em Macau, mas também aponta para o nosso futuro de sucesso aqui”, acrescentou, numa resposta por email enviada à Lusa.

      A medalha, continuou o director-geral, reflecte, além disso, o compromisso da empresa portuguesa em trabalhar com as “organizações parceiras para criar oportunidades de carreira gratificantes nas ciências da vida”.

      Na apresentação dos medalhados deste ano, o Executivo de Ho Iat Seng sublinhou em comunicado a “equipa forte” da Hovione dedicada “à investigação e à qualidade” e que “tem obtido diversos êxitos”.

      “A empresa tem-se empenhado em melhorar e desenvolver de forma constante e estrategicamente a operação com segurança, trazendo para o mercado mundial medicamentos não patenteados e produtos sintéticos personalizados, seguros, eficazes, especializados e de qualidade elevada, o que lhe granjeou o reconhecimento mundial”, afirma-se na nota de apresentação.

      Por outro lado, o Governo referiu que a expansão do negócio da Hovione “no mercado asiático está já a aproveitar as oportunidades proporcionadas pelo desenvolvimento da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin”, contribuindo para o desenvolvimento da indústria de ‘big health’ de Macau e, consequentemente, para o desenvolvimento da diversificação económica local.

      Outro nome português distinguido este ano pelas autoridades foi o de Felizbina Carmelita Gomes, actual directora do Jardim de Infância D. José da Costa Nunes, instituição de língua veicular portuguesa.

      A macaense, que vai receber a Medalha de Mérito Educativo, disse à Lusa “estar muito grata e satisfeita”. “Agradeço imenso aos serviços de educação e à APIM [Associação Promotora da Instrução dos Macaenses, que gere o jardim de infância] pelo reconhecimento do meu trabalho”, frisou.

      A antiga directora da Escola Primária Luso-Chinesa da Flora, com “uma carreira com 39 anos de tempo de serviço na área da educação”, referiu ainda que o percurso profissional “junto das crianças e funcionários da educação” tem sido “uma missão bastante emotiva”.

      Natural de Macau, Felizbina Carmelita Gomes estudou no então Liceu de Macau, tendo concluído o ensino superior em Ciências da Educação pela Universidade de Macau. Em Portugal, realizou várias formações complementares na área educativa na Universidade de Lisboa, disse à Lusa.

      Em comunicado, o Governo destaca, entre outros trabalhos da educadora, a “proactividade no desenvolvimento dos currículos e do ensino da língua portuguesa nas escolas oficiais” do território bem como a promoção de um “ambiente favorável para a aprendizagem da cultura portuguesa nas escolas”.

      Este ano, a Medalha de Honra “Lótus de Prata”, a terceira mais alta condecoração do território, foi atribuída à atleta de artes marciais Li Yi, que recentemente conquistou o ouro na 19.ª edição dos Jogos Asiáticos em Hangzhou.

      A cerimónia de entrega das medalhas e títulos honoríficos realiza-se em 19 de Janeiro, distinguindo-se perto de 30 personalidades, entidades e instituições.

       

       

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau