Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nevoeiro
17.9 ° C
17.9 °
16.9 °
88 %
2.6kmh
40 %
Qui
21 °
Sex
17 °
Sáb
16 °
Dom
20 °
Seg
22 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Homicídio de residentes de Macau em Zhuhai poderá ter tido origem em...

      Homicídio de residentes de Macau em Zhuhai poderá ter tido origem em conflitos amorosos

       

      Um caso de homicídio no sábado passado em Zhuhai de uma residente, do seu filho de nove anos, do actual namorado e do antigo companheiro, suspeito autor do crime, foi abordado em detalhe por Wong Sio Chak, na conferência de imprensa de ontem da apresentação das estatísticas da criminalidade dos três primeiros trimestres do ano. O homicídio de quatro pessoas que, para já, se supõe ter origem em conflitos amorosos, ainda está sob investigação das autoridades da cidade vizinha.

       

       

      No sábado, uma residente e o filho menor de nove anos, estudante de Macau, foram vítimas de homicídio, num caso que também envolveu a morte de dois indivíduos do sexo masculino do interior da China. A senhora, o filho e o actual namorado encontravam-se na fracção em Zhuhai onde a residente vivia, quando o antigo namorado se dirigiu ao local, tendo matado a senhora, o filho e o actual companheiro, acabando de seguida por se suicidar.

      À margem da conferência de imprensa realizada ontem de apresentação das estatísticas da criminalidade na região ao longo dos três primeiros trimestres do ano, Wong Sio Chak, secretário para a Segurança, disse que pouco pode ser avançado para já, visto que as autoridades de Zhuhai ainda estão a investigar o caso. “Elas entraram em contacto connosco, para colaborarmos, mas ainda estão a investigar o caso, portanto não me compete falar muito”.

      Depois de as autoridades em Zhuhai terem informado os colegas de Macau, o primeiro passo foi procurar familiares dos falecidos que teriam de ser informados. “Neste caso, há uma filha maior que está na China e telefonámos a essa filha que está a estudar na China e já lhe comunicámos o sucedido. A rapariga não tem familiares em Macau”, indicou o secretário. Outra das diligências das autoridades da RAEM, adiantou Wong Sio Chak, foi de “a CPSP entrar logo em contacto com a DSEDJ [Direcção dos Serviços de Educação e Desenvolvimento da Juventude] para poder perceber qual a escola que a vítima menor frequentava, entre outros assuntos”. Quanto a outros detalhes, será necessário aguardar por uma investigação mais aprofundada, e pelas informações que irão ser divulgadas mais tarde pelas autoridades vizinhas. “É um caso que aconteceu em Zhuhai e temos de respeitar as autoridades.” Wong Sio Chak classificou a situação como “uma tragédia que aconteceu por motivos amorosos”.

      Na mesma conferência de imprensa, o secretário para a Segurança fez ainda referência aos quatro homicídios que decorreram em Macau nos primeiros nove meses do ano: os dois ocorridos em Março e em Maio estiveram relacionados com actividades de prostituição e de troca ilegal de dinheiro, e um terceiro caso ocorreu no dia 18 de Julho, quando uma “mulher com problemas mentais se tentou suicidar após matar a sua filha por envenenamento, um problema familiar merecedor da preocupação e consideração de toda a sociedade”. O quarto caso, recordou ainda o responsável, ocorreu na madrugada do dia 31 de Julho, “em que dois indivíduos do sexo masculino e residentes de Macau, que estavam a divertir-se com os seus amigos em Zhuhai, envolveram-se numa disputa após consumirem álcool; um deles proferiu palavras insultuosas em relação a um familiar falecido do outro indivíduo, tendo, por isso, sido assassinado”. O suspeito foi detido na mesma noite em Macau. “A rápida resolução de casos permite concluir que o mecanismo de cooperação entre a polícia de Macau e os serviços policiais das regiões vizinhas tem produzido efeitos”, defendeu o secretário.

       

       

      Autópsia de corpo de menina falecida numa creche não revela feridas

       

      O director da Polícia Judiciária, Sit Chong Meng, foi solicitado a dar esclarecimentos sobre os avanços da investigação acerca da morte de uma bebé de quatro meses numa creche na Taipa. O responsável indicou que “não se verificou qualquer ferida no corpo que possa ter causado a morte”. Agora, as investigações prosseguem com a análise aos materiais encontrados no local do acidente. “Fizemos a análise laboratorial de alguns objectos, e alguns materiais que recolhemos, e encaminhámos para o exterior de Macau para análise laboratorial. Ainda estamos a aguardar a resposta”, adiantou. Recorde-se que em meados de Outubro passado uma menina de quatro meses faleceu na creche Fong Chong, caso que levou ao encerramento da creche.