Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
14.9 ° C
14.9 °
14.9 °
77 %
8.8kmh
40 %
Qui
15 °
Sex
16 °
Sáb
14 °
Dom
20 °
Seg
21 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Grande China Polícia chinesa diz que fundador da plataforma Douyu foi detido por operar...

      Polícia chinesa diz que fundador da plataforma Douyu foi detido por operar casino

      A polícia chinesa afirmou ontem que o fundador e presidente da plataforma de transmissão de jogos de computador Douyu, Chen Shaojie, foi detido por operar um casino, algo que é ilegal na China continental. Nos últimos dias, já tinha havido especulação sobre a possível detenção de Chen, depois de alguns órgãos de comunicação terem noticiado que ele estava incontactável desde o dia 16 de Novembro, mas só ontem a empresa confirmou em comunicado a detenção.

      A mesma nota referiu que o executivo foi detido na cidade de Chengdu, no centro do país, e que a Douyu “não recebeu qualquer notificação oficial sobre a investigação contra Chen ou as razões da sua detenção”.

      A polícia de Chengdu afirmou, entretanto, na rede social Weibo – equivalente chinês do X (antigo Twitter), cujo acesso está bloqueado na China – que a detenção de Chen se deveu à “abertura de um casino” e que está a investigar o caso.

      A imprensa chinesa avançou anteriormente que a detenção estaria relacionada com jogos de fortuna e azar, o que é ilegal na China, exceto na região semiautónoma de Macau.

      A Douyu alertou ainda para o facto de a detenção e a eventual acusação de Chen poderem “ter um impacto negativo na reputação da empresa, na sua atividade e nos resultados das suas operações”. As acções da Douyu, cotadas na bolsa norte-americana Nasdaq, caíram mais de 5,7%, entre segunda e terça-feira.

      Nos últimos meses, as autoridades chinesas prenderam vários executivos de grandes empresas chinesas, com especial incidência no sector financeiro, onde o Partido Comunista prometeu, no início deste ano, “eliminar” a corrupção.

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau