Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
16.9 ° C
16.9 °
16.9 °
82 %
3.1kmh
40 %
Qua
18 °
Qui
21 °
Sex
17 °
Sáb
16 °
Dom
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Grande China China e Rússia acordam intensificar a cooperação em matéria de investimento

      China e Rússia acordam intensificar a cooperação em matéria de investimento

       

      O vice-primeiro-ministro chinês, Ding Xuexiang, e o seu homólogo russo, Andrei Belousov, acordaram em Pequim aumentar a cooperação em matéria de investimento entre os dois países e “reforçar a coordenação e elaborar planos a longo prazo”.

      Segundo a agência noticiosa oficial Xinhua, Ding, que recebeu Belousov na segunda-feira, propôs o “aprofundamento da cooperação em matéria de investimento” entre os dois países, para “implementar o consenso alcançado pelos dois chefes de Estado” nas suas recentes reuniões.

      As propostas de Ding incluem “aumentar o planeamento e a direção da cooperação bilateral em matéria de investimento”, “reforçar o apoio e a orientação para as empresas dos dois países” e “promover a complementaridade regional, coordenar melhor o comércio, investimento, canais e construção de plataformas”.

      “Trata-se igualmente de aprofundar a cooperação prática nos domínios da agricultura e das infraestruturas de transportes”, frisou o vice-primeiro-ministro chinês. “Precisamos de oferecer em conjunto uma nova visão para a cooperação a longo prazo, reforçando as sinergias, de modo a criar um ambiente de investimento bilateral saudável”, disse Ding, citado pela Xinhua.

      Em Fevereiro de 2022, pouco antes do início da invasão russa da Ucrânia, o Presidente russo, Vladimir Putin, e o seu homólogo chinês, Xi Jinping, proclamaram em Pequim uma “amizade sem limites” entre as suas nações. Desde então, Moscovo e Pequim têm afirmado que os seus laços “não ameaçam nenhum país” e que visam “promover um mundo multipolar”.

      A China tem mantido uma posição ambígua no conflito. Pequim apelou ao respeito pela “integridade territorial de todos os países”, incluindo a Ucrânia, e atenção às “preocupações legítimas de todos os países” com a segurança, em referência à Rússia.

      Pequim tem procurado contrariar as críticas de que apoia a Rússia e apresentou um plano de paz de 12 pontos que foi recebido com ceticismo pela Ucrânia e pelos seus aliados ocidentais.

      A China continuou a aprofundar os seus intercâmbios com Moscovo, incluindo a nível militar, comercial e de investimento.

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau