Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nevoeiro
18.9 ° C
18.9 °
17.9 °
77 %
3.1kmh
40 %
Qui
21 °
Sex
17 °
Sáb
16 °
Dom
20 °
Seg
22 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Cultura Duas semanas com os maiores nomes e actores do cinema chinês e...

      Duas semanas com os maiores nomes e actores do cinema chinês e lusófono  

       

      Filmes de culto de Hong Kong com Anita Mui, Leslie Cheung, Tony Leung e Sandra Ng prestam uma homenagem ao vestuário no cinema, e outros filmes galardoados em festivais internacionais de realizadores como Manoel de Oliveira e Tiago Guedes são alguns dos destaques do festival luso-chinês do Instituto Cultural. Filmes, conversas, e workshops para pais e filhos passarão na Cinemateca Paixão, Galaxy Macau, Broadway, antiga Fábrica de Panchões, e no Anim’Arte Nam Van.

       

      Acaba de ser divulgado o programa completo do Festival de Cinema entre a China e os Países de Língua Portuguesa. Inserido no “5.º Encontro” destes países. A iniciativa do Instituto Cultural engloba o Festival da Lusofonia e muitos outros eventos, como o dedicado à literatura infantil. Entre os dias 10 e 24 de Novembro mais de 25 longas e curtas metragens de produções portuguesas, brasileiras, chinesas, de Hong Kong, Macau, Angola vão ser projectadas na Cinemateca Paixão, Galaxy Macau, Broadway, e na antiga Fábrica de Panchões Iek Long, onde decorrerá uma sessão de cinema ao ar livre de animações para todas as idades no dia 18 de Novembro.

      Para já, o festival arranca no dia 10 às 19h30 com o já previamente anunciado filme de abertura, “Bom Outono, Mamã”, filme chinês que contará com a presença e introdução do realizador Shizhong Che nos cinemas Galaxy. O filme em cantonense, que conta a história de uma família numa zona rural, tem como protagonista a célebre actriz Shu Qi, vencedora do prémio Cavalo de Ouro de Taiwan.

      Porque o evento tem como tema central o “Vestuário no Cinema”, no sábado, dia 11, às 15h30 na Anim’Arte Nam Van está agendado um workshop dedicado a acessórios de ópera cantonense. A organização esclareceu no programa que seleccionou cinco filmes chineses “notáveis” galardoados com prémios de Melhor Guarda-Roupa: “4 Faces de Eva”, que conta com uma sessão de partilha sobre “A Arte e Figurinos no Cinema de Hong Kong”, é descrito como “uma ousada e vanguardista obra prima-experimental”, “A Guerra Silenciosa” é um filme  com “figurinos gráficos elegantes”, “Sombra” dá a conhecer a estética de “heróis de artes marciais no estilo de pinturas a tinta da China”, “Adeus, Meu Amor” retrata a cultura e vestuário de diferentes países durante a 2.ª Guerra Mundial, e “O Amante Fantasma” explora a estética da ópera chinesa. Ainda no tema do vestuário e adereços no cinema, foi escolhido o filme de 2010 de Manoel de Oliveira, “O Estranho Caso de Angélica”, filme de abertura de ‘Un Certain Regard’ do Festival de Cannes que é descrito como possuidor de “um estilo arquitectónico português único”.

      Também de Portugal virá “Tristeza e Alegria na Vida das Girafas”, de Tiago Guedes, vencedor do prémio do Indie Lisboa de 2019. Este filme faz parte de outra categoria de filmes que o festival procura divulgar: novas produções pelas gerações mais novas de cineastas chineses e lusófonos. Seleccionado para ser exibido no Festival Internacional de Cinema de Berlim deste ano, o filme “Ausência” “oferece um vislumbre do poder criativo do cinema de arte chinês contemporâneo”, referiu o programa.

      “A Corda da Vida” e “Um e Quatro”, que terá uma conversa pós- projecção, são obras de estreia de realizadores que dão a conhecer os costumes e tradições singulares das minorias étnicas chinesas. Do Brasil, “Estranho Caminho”, e de Angola, “Nação Valente”, exploram os conflitos entre pessoas e posse de terras.  De Portugal vêm ainda dois filmes, “Alma Viva”, uma história passada numa aldeia em Trás-os-Montes que esteve na semana da crítica do Festival de Cannes de 2022, e “Ouve”, com Lúcia Moniz no papel principal, que arrecadou o prémio especial do júri no Festival de Veneza em 2020. Este filme da realizadora Ana Rocha de Sousa conta a história de uma família portuguesa que luta pela sobrevivência nos arredores de Londres. O filme será projectado conjuntamente com “Colina da Ilha Verde”, de Macau.

      O terceiro ponto de foco deste Festival de Cinema entre a China e os Países de Língua Portuguesa é o de filmes produzidos em Macau. “Colina da Ilha Verde”, “Jogo Incrível” de António Caetano Faria, e “Beijando o Chão em que Pisaste” de Hong Heng Fai, filme que recebeu elogios em diversos festivais internacionais, vão ser também exibidos na Cinemateca Paixão.

      Como foi anteriormente referido, a antiga Fábrica de Panchões Iek Long vai contar com filmes de curtas de animação para adultos e crianças. No dia 18, sábado, a partir das 16h30, vão ser exibidas produções chinesas – “O Sol da Manhã” e “Paddy” – , de Macau com “Mui” – e portuguesas, com “Garrano”, “O Homem do Lixo” e “Mercadores de Gelo”, candidato para Óscar de Filme de Animação em 2022.

      Complementando as sessões ao livre, vai ainda decorrer um workshop de criação de personagens de animação para pais e filhos. As duas sessões, às 15h e 18h, serão orientadas por Wong Ka Po, que utilizará materiais de papel com diferentes texturas para imitar as personagens dos filmes visionados, dando assim “vida às imagens”, referiu a organização.

      No dia 19, domingo, um workshop de dança folclórica portuguesa para famílias promovido pela Associação de Danças e Cantares Portugueses “Macau no Coração” está agendado para as 15h30 no Anim’Arte Nam Van. Um profissional irá ensinar os participantes a produzir cintos e aventais para que estes possam depois aprender movimentos simples com o formador.

      As inscrições para estes workshops são gratuitas e podem ser feitas através da página da Cinemateca Paixão ou pela Conta Única de Macau. O Festival sino-lusófono encerra a 24 de Novembro no Jardim Secreto do Grand Lisboa Palace às 19h30, local onde será exibido o documentário brasileiro “Miúcha, a Voz da Bossa Nova”.