Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nevoeiro
18.9 ° C
18.9 °
17.9 °
77 %
3.1kmh
40 %
Qui
21 °
Sex
17 °
Sáb
16 °
Dom
20 °
Seg
22 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Ásia Quatro trabalhadores de Fukushima atingidos por água contaminada

      Quatro trabalhadores de Fukushima atingidos por água contaminada

       

      Quatro trabalhadores da danificada central nuclear de Fukushima Daiichi foram atingidos por água com substâncias radioactivas, referiram as autoridades japonesas. A probabilidade destes trabalhadores terem sofrido queimaduras por exposição à radiação foi considerada baixa por um médico.

       

      Quatro trabalhadores da danificada central nuclear de Fukushima Daiichi, no nordeste do Japão, foram atingidos por água com substâncias radioativas e dois deles foram hospitalizados por precaução, disse um responsável.

      Cinco trabalhadores estavam a limpar canos do sistema de filtragem usado para tratar a água da central quando um cano se soltou acidentalmente, molhando dois dos trabalhadores, explicou à agência notícia France-Presse um porta-voz da Tokyo Electric Power (Tepco), operadora da central.

      A probabilidade destes trabalhadores terem sofrido queimaduras por exposição à radiação foi considerada baixa por um médico, disse a Tepco. “Fomos informados de que o estado dos dois trabalhadores hospitalizados é estável”, disse o porta-voz, acrescentando que “permanecerão no hospital durante aproximadamente duas semanas para exames de acompanhamento”.

      Dois outros trabalhadores poderão ter sido contaminados com radioactividade durante a limpeza dos danos, acrescentou o porta-voz. A Tepco está a estudar as circunstâncias do acidente e a analisar medidas para evitar que se repita, acrescentou.

      O Japão concluiu na segunda-feira passada, após 18 dias, a segunda fase de libertação no mar das águas tratadas da central nuclear de Fukushima danificada por um sismo e tsunami a 11 de Março de 2011.

      Esta água esteve armazenada durante muito tempo em tanques na central e foi tratada para retirar substâncias radioactivas, com excepção do trítio, que só é perigoso em doses concentradas muito elevadas, segundo especialistas.

      A Tepco dilui depois a água com água do mar antes de a libertar no oceano, para garantir que o nível de radioactividade não excede os limites.

      A descarga no mar foi aprovada pela Agência Internacional da Energia Atómica (AIEA), mas o projeto provocou uma crise diplomática entre o Japão e a China, que suspendeu todas as importações de produtos do mar nipónicos no final de agosto.

      Cerca de 7.800 metros cúbicos de água com trítio terão sido descarregados durante a primeira fase de 17 dias. No final de agosto, a Tepco declarou que estava a planear três outras operações semelhantes até ao final de março de 2024.

      No total, Tóquio planeia libertar mais de 1,3 milhões de metros cúbicos de água de Fukushima no Oceano Pacífico – o equivalente a 540 piscinas olímpicas – de forma gradual, até ao início da década de 2050, de acordo com o calendário actual. Lusa

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau