Edição do dia

Domingo, 19 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva moderada
25.9 ° C
26.9 °
25.9 °
83 %
6.7kmh
40 %
Dom
25 °
Seg
24 °
Ter
25 °
Qua
25 °
Qui
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioEconomiaVenda de alimentos doces chineses no 2.º trimestre subiu 406,8% num ano...

      Venda de alimentos doces chineses no 2.º trimestre subiu 406,8% num ano  

      O volume de negócios dos estabelecimentos do comércio a retalho continua a subir. Neste segundo trimestre, o índice do volume de vendas cresceu 59,3% em termos anuais, com lucros de 21,58 mil milhões de patacas. Os Serviços de Estatística e Censos (DSEC) revelaram em nota que o volume de negócios de alimentos e doces chineses aumentou de forma muito significativa face ao mesmo período do ano anterior, para 406,8%. Os volumes de negócios de relógios e joalharia (+106,8%), de mercadorias de armazéns e quinquilharias (+105,2%), de vestuário para adultos (+95,6%) e de artigos de couro (+91,3%) também subiram de modo evidente. Contudo, os volumes de negócios de artigos de comunicação (-25,8%) e de supermercados (-4,1%) baixaram. No primeiro semestre de 2023 o volume de negócios dos estabelecimentos do comércio a retalho totalizou 45,63 mil milhões de patacas, mais 43,9%, relativamente ao semestre homólogo de 2022. O índice do volume de vendas ascendeu 41,2%.

      Comparando os dados do segundo trimestre de 2023, com o do primeiro trimestre do mesmo ano, assistimos a uma descida do volume de negócios dos estabelecimentos do comércio a retalho de 10,2%, face ao montante revisto do volume de negócios do primeiro trimestre de 2023, que foi ligeiramente superior ao de agora, com 24,04 mil milhões de patacas. Salienta-se que os volumes de negócios de artigos de comunicação, de artigos de couro e de vestuário para adultos desceram 45,4%, 14,2% e 13,5%, respectivamente. Contudo, os volumes de negócios de alimentos e doces chineses, e de combustíveis para veículos a motor, ascenderam 10,5% e 9,1%, respectivamente. O índice do volume de vendas dos estabelecimentos do comércio a retalho diminuiu 14,3%, em termos trimestrais.

      Destaca-se que os índices do volume de vendas de artigos de comunicação (-44,7%), de relógios e joalharia (-18,9%) e de vestuário para adultos (-18,1%) tiveram os decréscimos mais substanciais. Todavia, os índices do volume de vendas de combustíveis para veículos a motor (+9,5%) e de alimentos e doces chineses (+8,7%) registaram os maiores acréscimos. Nos comentários dos responsáveis pelos estabelecimentos do comércio a retalho sobre previsões para o terceiro trimestre de 2023, 48,2% dos retalhistas prevêem a diminuição do volume de vendas em termos anuais, 38,4% antecipam a estabilização e 13,4% projectam o aumento, indicou ainda da DSEC.

       

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau