Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nevoeiro
18.9 ° C
18.9 °
17.9 °
77 %
3.1kmh
40 %
Qui
21 °
Sex
17 °
Sáb
16 °
Dom
20 °
Seg
22 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Ásia Singapura detém dez pessoas por branqueamento de capitais

      Singapura detém dez pessoas por branqueamento de capitais

       

      A polícia de Singapura deteve dez pessoas e apreendeu dinheiro e bens no valor de mil milhões de dólares de Singapura (675,4 milhões de euros), numa extensa operação contra o branqueamento de capitais pela cidade-Estado.

      A polícia de Singapura revelou que as detenções aconteceram na terça-feira, numa operação policial que envolveu mais de 400 agentes, que efectuaram rusgas simultâneas em várias partes da ilha, incluindo bangalôs de luxo.

      De acordo com um comunicado divulgado na quarta-feira à noite, os dez detidos, entre os 31 e os 44 anos, são todos de nacionalidade estrangeira, provenientes da China, Camboja, Vanuatu, Turquia e Chipre.

      A polícia sublinhou que alguns dos suspeitos tentaram resistir, sendo que um cipriota saltou da janela do seu quarto, num segundo andar, quando a polícia lhe pediu para abrir a porta, e foi encontrado escondido num esgoto.

      As forças de segurança apreenderam casas, 50 automóveis, incluindo modelos topo de gama, dinheiro, 250 bolsas de luxo e 270 joias e encontraram ainda passaportes falsos da China, Camboja e República Dominicana.

      A polícia acredita que os dez suspeitos fazem parte de um grupo que tentava branquear em Singapura o dinheiro obtido por meio de operações ilegais, como jogos de fortuna e azar e fraudes realizadas através da Internet.

      Os detidos podem enfrentar acusações de branqueamento de capitais e falsificação de documentos, crimes puníveis em Singapura com as penas máximas de dez anos de prisão. “Temos tolerância zero para o uso de Singapura como um espaço onde os criminosos e suas famílias se podem esconder, bem como abusar dos seus bancos”, disse o diretor do departamento para assuntos comerciais da polícia, David Chew.

      A cidade-estado asiática, um centro financeiro regional, é frequentemente acusada por organizações não governamentais (ONG) de servir de plataforma para negócios ilícitos, em parte graças ao sigilo do seu sistema financeiro.

      Singapura é o quinto país do mundo com maior nível de sigilo bancário, segundo a ONG Tax Justice Network.

       

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau