Edição do dia

Quarta-feira, 28 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
16.9 ° C
16.9 °
16.9 °
77 %
3.6kmh
40 %
Qua
20 °
Qui
21 °
Sex
17 °
Sáb
15 °
Dom
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Raimundo do Rosário promete mais autocarros e 300 táxis até ao fim...

      Raimundo do Rosário promete mais autocarros e 300 táxis até ao fim do ano  

      Com a retoma do turismo, e o regresso de elevados números de visitantes, o sector dos transportes não tem conseguido dar conta do assunto, com inúmeras queixas de residentes e turistas. Para fazer face à situação, o secretário para os Transportes e Obras Públicas, à margem do Fórum Verde, anunciou que as autoridades vão abrir um novo concurso para 300 licenças de táxi, e até ao fim do ano Macau poderá contar com estes táxis adicionais, e também com mais carreiras de autocarro. Quanto à estação de metro da Barra, esta encontra-se em testes, e deve entrar em funcionamento também até ao fim do ano.

       

      Foi durante a abertura do Fórum Verde ontem no Venetian que o secretário para os Transportes e Obras Públicas, Raimundo do Rosário, fez saber que até ao fim do ano Macau vai ter 300 táxis adicionais, vindo colmatar a falta deste tipo de transportes públicos que o território tem vindo a sentir desde a abertura das fronteiras. O concurso público para as 300 novas licenças de táxis será lançado dentro de dois ou três meses, depois de ser publicado um regulamento administrativo para gerir a abertura do concurso. Cada alvará terá a validade de oito anos, esclareceu o responsável em declarações à comunicação social.  

      “O aumento do número de turistas é um facto, mas espero que o Governo não se sinta demasiado pressionado para lançar 300 licenças de táxi este ano”, argumentou o secretário, citado pelo jornal Ou Mun. “Se houver falta de táxis, serão emitidas licenças de táxi adicionais, mas se houver uma diminuição do número de turistas, os táxis não terão negócio e, nesse caso, a indústria dos táxis irá reclamar e não terá nada para fazer, pelo que a questão tem de ser encarada de forma equilibrada e calma”, avisou.

      O secretário também fez referência a um pedido dos taxistas de serem disponibilizados mais postos de carregamento de veículos eléctricos rápidos. “Os taxistas gostariam que instalássemos mais postos de carregamento rápido, mas já dissemos que a política do Governo não é de instalar postos de carregamento rápido, é de instalar postos de carregamento lento”, sublinhou. Raimundo do Rosário referiu ainda que já existem alguns postos de carregamento rápido em locais públicos “justamente para quem precisa”, mas, no geral, considera que os postos de carregamento lento são suficientes, até porque em Macau as “distâncias são pequenas, e não há necessidade de se estar sempre a carregar”.

      Quanto à possibilidade de se criar um serviço online para reservas de táxis, o secretário para os Transportes e Obras Públicas recordou que na nova lei de táxis aprovada em 2019 não havia referência a este serviço, e que actualmente não há nenhum plano para alterar a lei.

      Outras questões abordadas pelo governante foi a situação dos autocarros, tendo sido revelado que se vai aumentar a frequência dos mesmos, mas de forma articulada com as empresas responsáveis, que analisarão o volume de passageiros para determinar quais as carreiras ou faixas horárias que requerem um aumento da frequência. “Por exemplo, algumas rotas têm mais passageiros durante as horas de trabalho ou depois do trabalho, e algumas rotas têm maior procura de passageiros aos sábados e domingos”.

      Por outro lado, sustentou o secretário, é necessário adaptar a situação à dimensão da cidade, e não se pode fazer um aumento desmesurado do número de carreiras. “Macau é um local pequeno, com ruas limitadas. Por exemplo, a Avenida Almeida Ribeiro, ou a Horta e Costa, se estas estiverem cheias de autocarros, o trânsito não pode circular”, apontou.

      Raimundo do Rosário avançou ainda que a estação de metro da Barra já se encontra em testes e que estes serão feitos em três fases, prevendo-se que a estação entre em funcionamento no final deste ano.