Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
14.9 ° C
14.9 °
14.9 °
77 %
8.8kmh
40 %
Qui
15 °
Sex
16 °
Sáb
14 °
Dom
20 °
Seg
21 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Economia Despesas dos visitantes disparam no segundo trimestre

      Despesas dos visitantes disparam no segundo trimestre

      No segundo trimestre deste ano, a despesa total dos visitantes, excluindo a despesa no jogo, cifrou-se em 17,48 mil milhões de patacas, mais 354,6% face ao trimestre homólogo de 2022.

       

      A despesa total dos visitantes (excluindo a despesa no jogo) cifrou-se em 17,48 mil milhões de patacas, mais 354,6%, face ao trimestre homólogo de 2022. Os dados foram avançados ontem pela Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC). O organismo salienta ainda que a despesa total dos turistas (14,58 mil milhões) e a dos excursionistas (2,90 mil milhões) registaram aumentos homólogos de 415% e 186,2%, respectivamente. No primeiro semestre de 2023 a despesa total dos visitantes totalizou 32,46 mil milhões, mais 210,9%, face ao mesmo semestre de 2022, informa ainda a DSEC.

      Quanto à despesa per capita, a dos turistas (4.251 patacas) e a dos excursionistas (889 patacas) baixaram 9,3% e 13,8%, respectivamente, face ao segundo trimestre de 2022. Todavia, a despesa per capita dos visitantes (2.610 patacas) aumentou 7,8%, em termos anuais, “devido à proporção de turistas em relação ao número total de visitantes ter subido”, referiu o organismo.

      Em termos de origens dos visitantes, a despesa per capita dos visitantes do interior da China fixou-se em 3.261 patacas, mais 31,8%, em termos anuais. Destaca-se que a despesa per capita dos visitantes do interior da China com visto individual (3.385 patacas) caiu 31,1%. A despesa per capita dos visitantes de Hong Kong foi de 1.140 patacas e a dos visitantes de Taiwan cifrou-se em 2.595 patacas.

      No trimestre de referência, as despesas dos visitantes foram na sua maioria em compras (48,5% da despesa per capita), seguindo-se as despesas em alojamento (24,5%) e em alimentação (17,4%). A despesa per capita dos visitantes em compras cifrou-se em 1.266 patacas, menos 20%, em termos anuais. Esta despesa foi efectuada principalmente em alimentos/doces (300 patacas), em produtos cosméticos/perfumes (262 patacas) e em joias/relógios (251 patacas).

      Analisando por principal motivo da visita a Macau, as despesas per capita dos visitantes que vieram participar em convenções/exposições (5.140 patacas), tratar de negócios e assuntos profissionais (3.255 patacas) e fazer compras (3.239 patacas) ascenderam 93,5%, 121,7% e 76,0%, respectivamente, em termos anuais, porém, a despesa per capita dos visitantes que estavam de passagem (366 patacas) desceu 71,5%.

      A DSEC referiu ainda que, de acordo com os resultados dos comentários dos visitantes referentes ao segundo trimestre de 2023, a proporção dos visitantes que estavam satisfeitos com as agências de viagens (70%) subiu 9,5 pontos percentuais, face à do trimestre precedente. Contudo, as proporções dos visitantes satisfeitos com os restantes serviços e instalações registaram descidas distintas em termos trimestrais, destacando-se que as proporções dos visitantes satisfeitos com os estabelecimentos de jogo (81,1%) e os transportes públicos (77,9%) baixaram 5,5 e 6,5 pontos percentuais, respectivamente. A proporção dos visitantes que consideravam suficientes os pontos turísticos de Macau (74,7%) também baixou 6,0 pontos percentuais.

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau