Edição do dia

Segunda-feira, 26 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
13.9 ° C
15.9 °
13.9 °
77 %
6.2kmh
40 %
Dom
15 °
Seg
19 °
Ter
19 °
Qua
20 °
Qui
22 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Cultura Corações de madeira que amam  

      Corações de madeira que amam  

      A partir do próximo sábado, dia 19, Dophine Wong, da Associação Ark, vai partilhar o seu trabalho artístico de colagens com mosaicos e madeira no Café Voyage. A artista espera que estes corações “inanimados” de madeira consigam inspirar os visitantes a reflectir sobre a capacidade do “coração” humano de sentir e amar.

       

      Recorrendo a técnicas mistas de colagens de madeira e mosaicos, inaugura no sábado, dia 19, a exposição “Coração de Madeira”, de Dophine Wong. A mostra de pinturas de colagens é a quarta parte de um programa anual promovido pela ‘Ark’, associação de arte que tem procurado promover artistas locais. A associação e o café prosseguem com seu “Quinteto de Arte”, um ciclo de exposições dedicado aos cinco elementos. A mostra do trabalho de cinco artistas locais, cujas obras foram beber inspiração aos cinco elementos, “pretende dar a conhecer a criatividade variada dos artistas em relação a cada elemento através de uma multitude de materiais e interpretações”, indicou a associação Ark em nota.

      Este ciclo começou em Maio com o elemento Terra, e as fotografias de Pamela Chan, passando ao elemento do Fogo em Junho, com das ilustrações de Vanda Chan, e a Água foi o elemento apresentado em Julho, com as pinturas a óleo de Celia Si. Agora é a vez do elemento Terra, e as obras de técnicas mistas de Dophine Wong, estarem em destaque. Sobre o seu trabalho, Dophine Wong, que é também a presidente da associação, explicou que recorre a técnicas de colagem de madeira e mosaicos para mostrar as diferentes possibilidades que esta combinação de materiais suscita. A madeira em si é “um elemento indispensável da natureza”, defende. “Sabemos que as árvores são importantes, por não apenas purificarem o ar, mas também por embelezarem a natureza”. Mas as árvores, explica a artista em nota, são objectos sem consciência, e sem emoções, ao passo que os humanos, não, sustenta. “Existe uma expressão em chinês que diz que ‘as pessoas não são relva ou árvores’ usada para exprimir que, contrariamente à relva e árvores, que são inanimadas, inconscientes e sem emoções, as pessoas têm pensamentos e sentimentos, e são facilmente afectadas por elementos externos”.

      Dophine Wong quis através das suas colagens de corações de madeira mostrar que os seres humanos têm corações “verdadeiros”: “Os seres humanos têm amor nos seus corações, e querem ajudar os outros, ouvir o que estes têm para partilhar, e estão sempre dispostos a resolver problemas e apoiar quem mais precisa”, partilha a artista. “Que elementos serão precisos para que o amor continue?”, é a pergunta que Dophine Wong lança, esperando que, através destas peças, o público “consiga reflectir e ser inspirado na sua compreensão do conceito de amor”, e também que este seja capaz de apreciar as colagens da artista através de diferentes pontos de vista.

      Nascida em Macau, Dophine Wong concluiu o curso profissional de professora de colagem na Northeast Normal University no interior da China, frequentando o terceiro nível de educação artística. Actualmente, nas suas explorações artísticas, dedica-se à pintura a óleo, ao artesanato em madeira, e à colagem de mosaicos. A artista também já há vários anos que se dedica à produção de actividades artísticas, com experiência em planeamento, coordenação e trabalho administrativo, participando em diversos eventos e actividades culturais e criativas como feiras de arte, exposições, e iniciativas educativas. “O meu objetivo é promover a criação artística, introduzir diferentes tipos de arte ao público, e partilhar a inspiração da produção e a alegria da criação”.

      A ‘Ark’ – Associação de Arte de Macau – “abraça a missão de promover a arte e a cultura através da realização de vários tipos de actividades artísticas, tais como exposições, seminários e workshops”. O mote é de proporcionar momentos em que os residentes de Macau possam aprender mais sobre arte, bem como servir de plataforma para que artistas locais possam mostrar os seus talentos e criatividade, na esperança de que todos melhorem “a sua qualidade de vida”, libertando “a pressão do trabalho e da vida quotidiana” através da apreciação e produção de arte. A exposição “Coração de Madeira” de Dophine Wong pode ser visitada no Café Voyage, no número 31 da rua Padre António Roliz, até dia 12 de Setembro.