Edição do dia

Terça-feira, 21 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
25 ° C
25.9 °
24.9 °
94 %
3.1kmh
40 %
Ter
25 °
Qua
25 °
Qui
24 °
Sex
27 °
Sáb
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioÁsiaProprietário de armazém de pirotecnia que explodiu na Tailândia intimado pela polícia

      Proprietário de armazém de pirotecnia que explodiu na Tailândia intimado pela polícia

      A grande explosão ocorrida no sábado num armazém de pirotecnia no sul da Tailândia fez, segundo um balanço atualizado, 10 mortos e mais de 100 feridos, e o proprietário, acusado de negligência. A polícia, que investiga as causas da explosão, acredita que o armazenamento de fogos-de-artifício era ilegal.

       

      Uma explosão ocorrida no sábado num armazém de pirotecnia no sul da Tailândia fez já 10 mortos e mais de 100 feridos.

      A explosão, que ocorreu na tarde de sábado na cidade de Sungai Kolok, foi supostamente causada por trabalhos de soldagem num prédio que armazenaria fogos-de-artifício ilegalmente. Um anterior balanço, divulgado no sábado, dava conta de nove mortes.

      “Identificámos 10 pessoas [mortas] e encontrámos partes de dois corpos que ainda não conseguimos identificar”, disse o governador da província de Narathiwat, Sanan Pongaksorn, em conferência de imprensa.

      De acordo com o responsável, estão a ser enviados médicos legistas para fazer testes de ADN, mas os primeiros relatórios dizem que se trata de duas pessoas distintas. A polícia, que investiga as causas da explosão, acredita que o armazenamento de fogos-de-artifício era ilegal.

      O comandante da polícia de Narathiwat, Chalermporn Khamkhiew, disse que, pouco antes da explosão, foram lançados fogos-de-artifício. “Estamos a investigar se esses fogos-de-artifício foram transportados legal ou ilegalmente. […] Neste momento não encontramos nenhuma licença que autorize a posse ou venda de fogos-de-artifício”, salientou o responsável, acrescentando presumir “que a fábrica não tenha nenhuma”.

      Ainda segundo o comandante, a explosão de cerca de uma tonelada de pólvora deixou duas crateras de dois metros de profundidade e seis metros de largura no local. “Convocámos o proprietário da fábrica, acusado de negligência”, disse o coronel Suthawet Thareethai, chefe de polícia do distrito de Muno.

       

      Segundo as autoridades, foi montado um centro de comando não muito longe do local, tendo sido registadas 365 notificações de pessoas feridas ou cujas casas e propriedades foram danificadas. Alguns prédios do Governo e escolas particulares também sofreram danos.

      De acordo com a polícia, 106 dos primeiros 115 feridos na explosão conseguiram voltar para casa, não se conhecendo ainda o estado de saúde daqueles que permanecem internados. O incêndio provocado pela explosão foi controlado na noite de sábado.

      Explosões em fábricas de fogos-de-artifício e outras de artigos pirotécnicos não são incomuns na Tailândia. A de sábado ocorre cinco dias depois de uma explosão numa fábrica de pirotecnia no norte da cidade de Chiang Mai, que fez 11 feridos. Lusa

       

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau