Edição do dia

Terça-feira, 18 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
29 ° C
29.9 °
28.9 °
94 %
4.1kmh
40 %
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioEconomiaReceitas não-jogo da Sands China já representam 22% da totalidade

      Receitas não-jogo da Sands China já representam 22% da totalidade

      As receitas do segmento não-jogo da Sands China já representam 22% do total. Em 2019, as receitas não-jogo da operadora representavam apenas 17% das receitas globais. A informação foi adiantada por Grant Chum, chefe de operações e director executivo da empresa, aquando do anúncio dos resultados do segundo trimestre da Las Vegas Sands, empresa-mãe da Sands China. Chum também assinalou que o volume de negócio da operadora de Macau registou uma “aceleração muito acentuada”.

       

      A Sands China é a concessionária de jogo a operar em Macau que tem uma maior percentagem de receitas geradas pelo segmento não-jogo, tendo essa proporção crescido de 17% em 2019 para 22% no segundo trimestre deste ano. A informação, citada pelo portal GGRAsia, foi dada por Grant Chum, chefe de operações e director executivo da empresa, no anúncio dos resultados do segundo trimestre da Las Vegas Sands, empresa-mãe da Sands China. O responsável acrescentou que a concessionária de Macau está agora a 93% do nível de receitas não-jogo registadas antes da pandemia.

      Na ocasião, Grant Chum também destacou que a Sands China registou uma “aceleração muito acentuada” no volume de negócios no mês de Junho, o que empurrou as margens de lucro da empresa para um crescimento de cerca de 240 pontos base em relação ao trimestre anterior.

      A operadora de jogo registou lucros de 187 milhões de dólares americanos no segundo trimestre (cerca de 1,5 mil milhões de patacas). Os lucros antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) no segundo trimestre deste ano foram de 541 milhões de dólares americanos (cerca de 4,3 mil milhões de patacas). A Las Vegas Sands registou uma receita líquida de 2,54 mil milhões de dólares e um lucro líquido de 368 milhões de dólares no período.

      O executivo assinalou que a Sands China estava a reinvestir as suas receitas no negócio, a fim de aumentar a “capacidade do grupo para lidar com mais visitantes, principalmente aumentando o número de funcionários para que seja possível disponibilizar mais quartos de hotel”. Chum acrescentou: “Foi uma das coisas que conseguimos neste trimestre, a nossa capacidade de exploração de quartos voltou a ser de 10.700 quartos em média no trimestre. E, à medida que entramos no Verão, estamos a regressar aos 12.000 quartos em termos de capacidade operacional dos hotéis, pelo que a questão da escassez de mão-de-obra se dissipou “. O responsável da Sands China reforçou que o foco tem sido “reinvestir no segmento não-jogo”, o que tem sido “um tremendo motor para a recuperação até agora”.

      Junho foi “um mês de destaque” para a Sands China, disse o chefe de operações e director executivo da empresa, salientando que o EBITDA alcançou 200 milhões de dólares nesse mês. “Recuperámos para o segundo trimestre como um todo para 85% dos níveis de 2019 em termos de receitas de massas. Mas, em Junho, as nossas receitas de massas foram de cerca de 97%, quase uma recuperação total em comparação com Junho de 2019”, observou. O segmento de massas ‘premium’ ainda “recuperou mais rapidamente do que o segmento de massas base”, acrescentou Chum.

      Durante a mesma conferência, Robert Goldstein, presidente e director executivo da Las Vegas Sands, referiu, também citado pelo GGRAsia, que a recuperação “ainda está a dar os primeiros passos”, uma vez que o grupo espera que a recuperação do mercado turístico vá para além da província de Guangdong.

      No mês de Junho, as receitas dos casinos foram de 15,2 mil milhões de patacas, registando-se uma ligeira descida face a Maio, quando os casinos alcançaram 15,5 mil milhões de patacas em receitas. Entre Janeiro e Junho deste ano, os casinos a operar em Macau facturaram 80,1 mil milhões de patacas. A corretora JP Morgan estima que as receitas brutas de jogo de Julho sejam superiores a 16 mil milhões de patacas, o que, a confirmar-se, bateria o recorde desde o início da pandemia.