Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva moderada
34.3 ° C
34.3 °
34.3 °
77 %
6.1kmh
90 %
Ter
34 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaExportações chinesas afundam 12,4% em Junho face a queda na procura global

      Exportações chinesas afundam 12,4% em Junho face a queda na procura global

      As exportações da China caíram 12,4%, em Junho, em termos homólogos, face à queda na procura global, suscitada pelo aumento das taxas de juros na Europa, Estados Unidos e outros países, visando conter a inflação.

       

      Dados revelados ontem pelas alfândegas da China indicam que as exportações da China caíram 12,4%, em Junho, em termos homólogos, face à queda na procura global, suscitada pelo aumento das taxas de juros na Europa, Estados Unidos e outros países, visando conter a inflação. Os dados revelaram também uma queda de 6,8% nas importações.

      A contracção no comércio externo aumenta a pressão sobre a segunda maior economia do mundo, num período de desaceleramento na sua recuperação, após Pequim ter abolido, em Dezembro, as medidas de prevenção contra a covid-19, que no ano passado empurraram o país para um ciclo de bloqueios que paralisaram a actividade económica.

      Entre Janeiro e Junho, o comércio total da China, incluindo importações e exportações, caiu quase 5%, em relação ao primeiro semestre de 2022. As exportações caíram 3,2% e as importações caíram 6,7%, uma vez que os preços de matérias-primas como o petróleo diminuíram e a procura na China também enfraqueceu.

      O comércio foi também abalado pelas fricções entre Pequim e Washington, que impôs restrições sobre a exportação para a China de ‘chips’ semicondutores, visando abrandar os avanços do país em tecnologias com uso militar. A dificuldade no acesso a semicondutores dificulta, no entanto, a produção de telemóveis e outros produtos eletrónicos.

      O excedente comercial da China ascendeu a 70,62 mil milhões de dólares, em Junho, acima do valor atingido em maio, de 65,81 mil milhões de dólares.

      As exportações da China para os Estados Unidos caíram 23,7%, em relação ao mesmo mês do ano anterior, para 42,7 mil milhões de dólares, enquanto as importações de produtos norte-americanos caíram 4,1%, para 14 mil milhões de dólares. O excedente comercial da China com os Estados Unidos, politicamente sensível, diminuiu 30,6%, para 28,7 mil milhões de dólares, em termos homólogos.

      “A desaceleração global na procura por bens continua a pesar sobre as exportações. Acreditamos que as exportações vão cair ainda mais, antes de atingirem um ponto mínimo, no final do ano”, disse Zichun Huang, da consultora Capital Economics, num relatório.

      O crescimento económico nos primeiros três meses do ano acelerou para 4,5%, em comparação com igual período de 2022, mas os analistas dizem que o pico da recuperação provavelmente já passou. O ritmo de crescimento ficou aquém da meta estabelecida pelo Partido Comunista Chinês para este ano: “cerca de 5%”. Lusa

       

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau