Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nublado
33.2 ° C
33.2 °
33.2 °
78 %
5.2kmh
99 %
Ter
33 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaVendas de automóveis na China sobem 8,8% no primeiro semestre do ano

      Vendas de automóveis na China sobem 8,8% no primeiro semestre do ano

       

      As vendas de automóveis na China aumentaram 8,8%, no primeiro semestre do ano, em relação ao período homólogo, impulsionadas pela compra de veículos eléctricos e o fim da política de ‘zero casos’ de covid-19. No ano passado, foram vendidos na China quase seis milhões de carros eléctricos – mais do que em todos os outros países do mundo juntos.

       

      As vendas de automóveis na China registaram um aumento de 8,8%, no primeiro semestre do ano, em relação ao período homólogo. Este aumento foi impulsionado pela compra de veículos eléctricos e o fim da política de ‘zero casos’ de covid-19.

      Segundo a Associação Chinesa de Fabricantes de Automóveis (CAAC), as vendas de veículos utilitários desportivos, ‘minivans’ e ‘sedans’ no maior mercado automóvel do mundo subiram para 11,3 milhões de unidades, no período entre Janeiro e Junho. As vendas totais de veículos, incluindo camiões e autocarros, aumentaram 9,8%, para 13,2 milhões de unidades. A CAAC previu anteriormente que o crescimento anual das vendas deste ano pode cair para até 3%.

      O aumento das receitas das fabricantes globais depende do mercado chinês, face a crescimentos anémicos nos Estados Unidos e na Europa.

      Fabricantes globais e chinesas estão a gastar milhares de milhões de dólares no desenvolvimento de veículos elétricos para cumprir as quotas de vendas estipuladas por Pequim.

      As marcas alemãs, japonesas e norte-americanas enfrentam uma concorrência crescente de marcas chinesas que se estão a desenvolver rapidamente, conquistando participação nos mercados doméstico e globais.

      As vendas de veículos híbridos e totalmente eléctricos aumentaram 44,1%, nos primeiros seis meses de 2023, para 3,7 milhões de unidades, menos da metade do crescimento anual de 93,4%, registado em 2022, segundo a CAAM.

      A sua participação nas vendas totais aumentou para um recorde de 28,3%, em relação aos 25,6% do ano passado. As exportações subiram 75,7%, em relação ao ano anterior, no primeiro semestre, para 2,1 milhões de unidades. A maioria destas exportações foi composta por veículos movidos a energia alternativa, ilustrando os avanços do país no setor.

      No ano passado, foram vendidos na China quase seis milhões de carros eléctricos – mais do que em todos os outros países do mundo juntos.

      A dimensão do mercado chinês propiciou a ascensão de marcas locais, incluindo a BYD, NIO ou Xpeng, que ameaçam agora o ‘status quo’ de uma indústria dominada há décadas pelas construtoras alemãs, japonesas e norte-americanas.

      Fabricantes de veículos elétricos, incluindo a BYD e a unidade Zeekr, do grupo Geely Group, iniciaram as vendas este ano no Japão e na Europa. A Geely também é dona da sueca Volvo Cars e da sua marca de luxo totalmente elétrica, a Polestar. Lusa

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau