Edição do dia

Segunda-feira, 17 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
29.9 °
27.9 °
94 %
4.6kmh
40 %
Dom
28 °
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioInternacionalUcrânia convidada a aderir à NATO quando cumprir condições e sem "calendário"

      Ucrânia convidada a aderir à NATO quando cumprir condições e sem “calendário”

       

      O secretário-geral da NATO anunciou ontem que o convite para a Ucrânia aderir à NATO será feito “quando houver concordância” de todos os Estados-membros e “as condições estiverem reunidas”, e que nunca houve um calendário. “Vamos convidar a Ucrânia [a aderir] quando os aliados concordarem e assim que as condições estiverem reunidas”, disse Jens Stoltenberg, em conferência de imprensa no final do primeiro dia da Cimeira da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), em Vílnius, na Lituânia. Os jornalistas questionaram várias vezes o secretário-geral da Aliança Atlântica sobre as críticas feitas pelo Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, que considerou que “absurdo” não haver um calendário para a adesão do país. Stoltenberg rebateu que “nos outros processos de adesão nunca houve um calendário”: “Não é uma questão de calendário, é uma questão baseada em condições.” Os Estados Unidos da América (EUA) insistiram ontem que a adesão imediata da Ucrânia à NATO “não é provável”, mas disseram partilhar algumas das preocupações do Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, sobre o caminho de Kiev para ingressar na Aliança. “Acreditamos que a NATO faz parte do futuro da Ucrânia. É algo com que a Aliança concordou em 2008″, disse o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, John Kirby, que também aproveitou a oportunidade para salientar que Kiev ainda tem de trabalhar numa série de reformas para cumprir as normas da Aliança Atlântica. “Compreendemos que é difícil trabalhar em algumas destas reformas quando se está em guerra. É claro que, neste momento, estão em guerra. Por isso, a adesão à NATO num futuro imediato não é provável, porque isso colocaria a NATO em guerra com a Rússia”, acrescentou o porta-voz da segurança nacional norte-americana.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau