Edição do dia

Segunda-feira, 17 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
29.9 °
27.9 °
94 %
4.6kmh
40 %
Dom
28 °
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeMais de 11 milhões de visitantes entraram em Macau no primeiro semestre...

      Mais de 11 milhões de visitantes entraram em Macau no primeiro semestre  

      Estatísticas preliminares mostram que Macau recebeu 11,6 milhões de turistas no primeiro semestre, ao qual Helena de Senna Fernandes disse estar optimista de que o volume total de entrada de visitantes para este ano possa chegar a 24 milhões de pessoas. A directora dos Serviços de Turismo admitiu ontem a necessidade de reforçar a promoção para turistas estrangeiros, bem como resolver a falta de pessoal nos hotéis para enfrentar a época alta do Verão.

       

      A entrada de visitantes em Macau tem vindo a crescer desde a abertura da fronteira do território em Janeiro, e a Direcção dos Serviços de Turismo revelou que, segundo os dados preliminares, chegaram 11,6 milhões de turistas à RAEM nos primeiros seis meses do ano.

      Helena de Senna Fernandes, directora dos Serviços de Turismo (DST), assinalou que o número de turistas estrangeiros ainda é relativamente baixo, pelo que há necessidade de impulsionar ainda mais os trabalhos de promoção do turismo e de atracção de visitantes do exterior.

      “O número de visitantes do interior da China a Macau recuperou 60% do nível pré-epidémico e o de visitantes de Hong Kong voltou a 90%, enquanto o mercado do exterior restaurou apenas por 20%”, adiantou Helena de Senna Fernandes, citada pelo portal Inside Asian Gaming.

      Tal como tinha referido recentemente, a directora da DST reiterou que as visitas internacionais estão limitadas devido à falta de ligações aéreas e que o Governo precisa de fazer mais eventos promocionais.

      À margem da cerimónia de abertura do evento do Global Gaming Expo Asia – G2E Asia, aos jornalistas, a responsável descreveu que o desempenho do turismo neste mês tem sido muito satisfatório, e que no fim-de-semana passado, o volume de visitantes excedeu 100 mil pessoas no sábado e no domingo. “A taxa de ocupação hoteleira atingiu 89% no fim-de-semana e a média diária de visitantes na semana passada foi aproximadamente de 80 mil pessoas”, acrescentou.

      Desse modo, o organismo está optimista de que o número total de visitantes de 2023 possa ultrapassar os 24 milhões. “Estamos a trabalhar para isso. E as férias do Verão, particularmente Agosto, é tradicionalmente a época alta do turismo de Macau, seguida por Dezembro. Portanto, na segunda metade do ano teremos muitos eventos, esperamos muito que possamos atingir esse número, e assim todos os sectores podem beneficiar”, indicou Helena de Senna Fernandes, segundo a Rádio Macau em língua chinesa.

      Recorde-se que, devido à pandemia, o número de turistas em Macau manteve-se inferior a 10 milhões nos últimos três anos, com 5,8 milhões em 2020, 7,7 milhões em 2021 e 5,7 milhões em 2022.

       

      HOTÉIS ABERTOS PARA O VERÃO

       

      Helena de Senna Fernandes referiu ainda que a taxa de ocupação nos hotéis também está no bom caminho. “A oferta hoteleira aumentou em 5.000 quartos face ao período pré-epidemia, tendo actualmente 47.000 quartos de hotéis, e aos resorts integrados de Macau também foram adicionados muitos novos equipamentos turísticos”, destacou.

      Para as férias do Verão, quando Macau está prestes a receber mais turistas familiares de Hong Kong e da China Continental, Helena de Senna Fernandes disse que os quartos dos hotéis de Macau estão basicamente todos disponíveis agora, “mas ainda se verifica falta de mão-de-obra para fazer face ao pico de fluxo de turistas”.

      A indústria está a recrutar pessoal e o Governo vai trabalhar em conjunto com a indústria para resolver o problema da mão-de-obra, segundo a responsável, que espera que mais novos recém-licenciados possam se dedicar a diferentes cargos do sector do turismo, sendo que os hotéis vão disponibilizar recursos de formação.

      Para além de voos insuficientes, a disponibilização de quartos de hotéis também foi uma das razões da dificuldade de recuperação turística nos últimos meses, por estarem sempre esgotados ou pelos seus preços elevados durante as épocas altas de viagens, por causa da carência de pessoal hoteleira.

      Segundo revelou Helena de Senna Fernandes na reunião ordinária da Associação de Hotéis de Macau realizada recentemente no Hotel Artyzen, houve no ano passado três novos hotéis em Macau com 2.274 quartos. Citada pelo Jornal Ou Mun, a directora da DST prevê a conclusão e entrada em serviço de quatro novos hotéis “de classe internacional” no segundo semestre do ano. Ou seja, nessa altura, estarão disponíveis no mercado mais 2.300 quartos de hotéis para dar resposta à procura cada vez maior de alojamento turístico.