Edição do dia

Terça-feira, 18 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
30.6 ° C
33.2 °
29.9 °
89 %
4.6kmh
40 %
Ter
31 °
Qua
31 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioPolíticaGoverno espera mais de cem terapeutas da fala em Macau até 2025...

      Governo espera mais de cem terapeutas da fala em Macau até 2025  

       

      O transtorno de desenvolvimento da linguagem representa um dos principais distúrbios no desenvolvimento dos menores em Macau e, nesse sentido, o Governo pretende formar mais terapeutas da fala para satisfazer a procura de tratamento precoce das crianças. Existem neste momento no território 60 terapeutas da fala e as autoridades prevêem que o número aumente para mais de cem até 2025. Segundo o Instituto de Acção Social, serão aumentadas para 450 as vagas de tratamento precoce destinadas a crianças com idade igual ou inferior a 3 anos.

       

      O número de terapeutas da fala em Macau está a aumentar, tendo triplicado nos últimos seis anos. Existiam 20 terapeutas da fala em 2017 e a região conta este ano com 60 profissionais. O Governo está à espera de mais jovens que se dediquem a este sector e estima que até 2025 haja mais de cem profissionais da terapia da fala a servir Macau.

      Reiterando o empenho na formação de quadros qualificados da área, a Direcção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude (DSEDJ) assinalou que 20 alunos que frequentam o curso da terapia da fala da Universidade Politécnica de Macau estão a realizar estágio e vão juntar-se nos serviços terapêuticos no próximo ano, fazendo com que o número suba para 80 terapeutas da fala no ano que vem. A DSEDJ sublinhou ainda que as instituições de ensino superior locais vão continuar a abrir cursos relevantes para formar novos profissionais da terapia da fala.

      Por ocasião de uma reunião ordinária do Conselho Consultivo de Serviços Comunitários da Zona Norte, onde foram abordados os serviços necessários para o tratamento precoce das crianças, a DSEDJ, os Serviços de Saúde (SSM) e o Instituto de Acção Social (IAS) apontaram que o tempo de espera para diagnóstico, encaminhamento e avaliação das crianças necessitadas “tem sido reduzido bastante”.

      “O tempo de espera para a avaliação é aproximadamente de meio ano nas regiões vizinhas. Desde a inauguração do Centro de Avaliação Conjunta Pediátrica, integrando os recursos de tratamento precoce, foi encurtado o período para um a dois meses”, referiu Chan U Iong, coordenador-adjunto do Conselho Consultivo de Serviços Comunitários da Zona Norte, ao citar o IAS, em declarações à Rádio Macau, em língua chinesa.

      O coordenador-adjunto revelou que as crianças portadoras de transtornos em desenvolvimento em Macau envolvem principalmente transtornos de desenvolvimento da linguagem, o que representa 58,3% dos distúrbios de desenvolvimento pediátrico detectados. Nesse sentido, o IAS assumiu que vai reforçar a prestação de serviços de apoio a crianças com dificuldades no desenvolvimento, com idade igual ou inferior a 3 anos, bem como as suas famílias.

      “Há actualmente cerca de 300 crianças com idade igual ou inferior a 3 anos que necessitam de tratamento precoce. Está previsto que as vagas sejam aumentadas para 450 até ao final do ano, para responder às necessidades”, disse o IAS.

      O organismo salientou que a intervenção precoce de transtornos em desenvolvimento pediátrico é procedida consoante a urgência dos casos, sendo que o período de espera para tratamento é de cerca de quatro semanas para os casos urgentes.

      No que diz respeito ao sistema auxiliar da terapia da fala por inteligência artificial, que foi lançado no ano passado e está na fase experimental de formação de reabilitação destinada às crianças no Centro de Tratamento de Reabilitação Infantil, o IAS avançou que os resultados recolhidos do funcionamento experimental serão divulgados no próximo mês.

      As autoridades destacam simultaneamente que o tratamento precoce não é apenas responsabilidade dos terapeutas, mas os pais desempenham um papel importante. Assim, o IAS pretende cooperar com diferentes entidades para promover os serviços de intervenção precoce e disponibilizar formação para funcionários das creches e escolas para identificar as crianças necessitadas.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau