Edição do dia

Quarta-feira, 19 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
29 ° C
29.9 °
28.9 °
94 %
3.6kmh
20 %
Ter
29 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioPolíticaChefe do Executivo quer Macau no papel de centro médico para a...

      Chefe do Executivo quer Macau no papel de centro médico para a Grande Baía e regiões circundantes

      O Chefe do Executivo esteve na Reunião Conjunta das Lideranças Executivas no contexto da Cooperação Regional do Pan-Delta do Rio das Pérolas, que se realizou em Guiyang. Na ocasião, Ho Iat Seng reiterou o empenho de Macau na diversificação da sua economia. Um dos ênfases para concretizar essa diversificação é a indústria de ‘big health’ e, por isso, o Chefe afirmou que “Macau está empenhado em transformar-se num centro médico regional para a Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau e regiões circundantes”.

       

      Decorreu na sexta-feira, no município de Guiyang da província de Guizhou, a Reunião Conjunta das Lideranças Executivas no contexto da Cooperação Regional do Pan-Delta do Rio das Pérolas em 2023, subordinada ao tema de “avançar num novo caminho, cooperar para criar uma nova conjuntura”. O Chefe do Executivo esteve presente na ocasião e proferiu um discurso com foco na diversificação da economia da região.

      Segundo um comunicado divulgado após a reunião, Ho Iat Seng afirmou que Macau irá “implementar profundamente” o Segundo Plano Quinquenal de Desenvolvimento Socioeconómico da RAEM e aproveitar a estratégia “1+4” para desenvolver as quatro indústrias principais: a indústria de ‘big health’, a indústria financeira moderna, a de tecnologia de ponta, e a de convenções, exposições e comércio, e de cultura e desporto. O objectivo é, reiterou o Chefe, “acelerar a diversificação adequada da economia e injectar uma nova dinâmica para o desenvolvimento de Macau, a longo prazo”.

      Quanto ao desenvolvimento da indústria de ‘big health’, o Chefe do Executivo indicou que “Macau está empenhado em transformar-se num centro médico regional para a Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau e regiões circundantes”. Além disso, segundo disse o líder do Governo local, a região deve “aperfeiçoar, com a entrada em vigor da Lei da actividade farmacêutica, no âmbito da medicina tradicional chinesa e do registo de medicamentos tradicionais chineses, o desenvolvimento do Parque Científico e Industrial de Medicina Tradicional Chinesa para a Cooperação entre Guangdong-Macau”.

      No que toca ao sector financeiro moderno, o foco está no mercado de obrigações, à gestão de fortunas, à locação financeira, às transacções em renminbi, aos fundos de capital privado e à alienação transfronteiriça dos activos financeiros sustentáveis. O Chefe do Executivo afirmou que, em termos de inovação tecnológica e desenvolvimento da indústria tecnológica, Macau tem estado a impulsionar os quatro laboratórios de referência nacionais a assumir “a missão da estratégia nacional de ciência e tecnologia, participar na construção do corredor de inovação científica da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, reforçar a cooperação cientifica e tecnologia entre a China e os país de língua portuguesa, construir o Centro de Ciência e Tecnologia Sino-Lusófono, atrair projectos de inovação tecnológica dos países de língua portuguesa a instalarem-se em Macau, na Zona de Cooperação Aprofundada e na Grande Baía, cultivar gradualmente as empresas de tecnologia de ponta, atrair as empresas de tecnologia de ponta e os quadros qualificados de origem nacional e estrangeira a instalarem-se em Macau”.

      O Chefe do Executivo também falou sobre a Zona de Cooperação Aprofundada e disse que “Hengqin é a plataforma importante para a participação de Macau na construção da zona da Grande Baía e a sua integração no desenvolvimento nacional”, destacando que o Governo de Macau e o da província de Guangdong “têm mantido uma comunicação estreita e promovido a construção da Zona de Cooperação Aprofundada com o alcançar de um patamar superior e com maiores esforços”.

      O Chefe do Executivo indicou ainda que é incentivado o desenvolvimento do mercado de obrigações, “com intuito de alargar o espaço operacional transfronteiriço das instituições com fundos de Macau”. As actividades de Gestão Financeira Transfronteiriça decorreram dentro da normalidade e foram também promulgadas políticas de incentivo, as Medidas de Apoio ao Desenvolvimento do Sector Financeiro, etc, afirmou Ho.

      “Quanto ao layout produtivo, há que acelerar a implementação e concretização das políticas do desenvolvimento da indústria de circuito integrado, e coordenar os trabalhos de captação de investimento para o sector do Metaverso”, referiu o Chefe, que aproveitou para solicitar a “participação proactiva e diversa” na construção da Zona de Cooperação Aprofundada pelas regiões e províncias do Pan-Delta do Rio das Pérolas.

      Por fim, o Chefe do Executivo salientou que “a RAEM irá, com as outras regiões e províncias irmãs, aproveitar as características e vantagens próprias e continuar a apoiar a Grande Baía, bem como a Região do Pan-Delta do Rio das Pérolas”. “Macau servirá como Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial Sino-portuguesa, apoiando as regiões e províncias do Pan-Delta do Rio das Pérolas a continuarem a aprofundar os intercâmbios com os Países de Língua Portuguesa e a promover, em conjunto, a cooperação de alta qualidade”, concluiu.