Edição do dia

Quarta-feira, 19 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
29 ° C
29.9 °
28.9 °
94 %
3.6kmh
20 %
Ter
29 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioEconomiaNunca os casinos de Macau tiveram margens de EBITDA tão altas

      Nunca os casinos de Macau tiveram margens de EBITDA tão altas

      A conclusão é da JP Morgan: Nunca os casinos de Macau tinham conseguido alcançar margens de lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) como agora. Segundo as contas da corretora, as margens de EBITDA dos casinos locais atingiram máximos no segundo trimestre.

      Os casinos de Macau deverão ter atingido, no segundo trimestre deste ano, margens “nunca antes registadas” em termos de lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA), diz a corretora JP Morgan Securities (Asia Pacific) Ltd. Numa nota citada pelo portal GGRAsia, a instituição estima que as margens de EBITDA de todo o sector tenham atingido um máximo de 26% durante o segundo trimestre. O EBITDA do segundo trimestre deverá ter atingido 1,7 mil milhões de dólares, mais 47% do que o registado nos primeiros três meses do ano.

      A corretora nota que o período entre Abril e Junho deste ano foi “o primeiro trimestre em mais de três anos em que todas as operadoras – incluindo a SJM Holdings Ltd – geraram fluxos de caixa consideráveis”. Os analistas da JP Morgan acrescentaram que as margens poderão continuar a melhorar, atingindo valores na ordem dos 30% em 2025. “O ciclo de crescimento dos lucros está longe de ter terminado”, afirma a instituição na nota.

      Entre Janeiro e Junho deste ano, os casinos a operar em Macau facturaram 80,1 mil milhões de patacas, indicou no passado sábado a Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos (DICJ). Este valor acumulado revela um aumento de 205% face ao mesmo período do ano passado.

      A JP Morgan diz que “o mais importante foi que as receitas brutas de jogo do segmento de massa deu um salto de cerca de 30% em termos trimestrais, atingindo quase 90% dos níveis de 2019 no segundo trimestre, contra os 67% do primeiro trimestre”. Os analistas salientaram que se tratou de um desempenho “muito impressionante”, tanto pelo ritmo de recuperação – este foi o primeiro trimestre completo de reabertura” desde que Macau levantou a maior parte das restrições à entrada relacionadas com a Covid-19 no início de Janeiro – como pela qualidade dos clientes, com os gastos por visita estimados pela corretora em cerca de 30% acima dos níveis anteriores à Covid-19.

      A JP Morgan acrescentou: “Embora menos significativa, a recuperação de cerca de 25% no segmento VIP também nos surpreendeu pela positiva, uma vez que implica a duplicação do negócio VIP directo em relação ao pré-Covid-19”.

      Os dados da DICJ mostram também que no mês de Junho as receitas de jogo caíram ligeiramente face ao mês anterior – esta foi a primeira queda desde Fevereiro. No mês passado, os casinos facturaram 15,2 mil milhões de patacas e em Maio tinham alcançado 15,5 mil milhões, valor recorde dos últimos três anos, desde o início da pandemia. Estes 15,2 mil milhões conseguidos no mês passado revelam um crescimento exponencial de 514% face ao mês de Junho do ano passado, quando as receitas foram apenas de 2,4 mil milhões.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau