Edição do dia

Segunda-feira, 17 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva fraca
28.1 ° C
29.9 °
27.9 °
94 %
3.6kmh
40 %
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeMais de 90% dos residentes utilizam MPay, revela Macau Pass

      Mais de 90% dos residentes utilizam MPay, revela Macau Pass

      Mais de 90% dos residentes de Macau já se associaram ao MPay. De acordo com a Macau Pass S.A., a plataforma de pagamento electrónico subsidiária da empresa lançou uma série de promoções para os consumidores, tendo registado despesas globais de 20 milhões de patacas durante a terceira ronda do plano de consumo electrónico.

      Desde a entrada em serviço da Macau Pass, em 2015, e doMPay, em 2018, o número acumulado de cartões Macau Pass emitidos, até ao final do ano passado, ultrapassou os 4,5 milhões, e os utilizadores registados no MPay representam mais de 90% do número total de residentes de Macau. A empresa revelou ainda que está a fornecer serviços de pagamento em mais de 27 mil pontos de pagamento, sendo que o seu serviço com várias utilidades “cobre quase todos os principais cenários de pagamento”.

      A Macau Pass S.A. divulgou na passada terça-feira o seu primeiro Relatório de Responsabilidade Social Corporativa, apresentando em detalhe as medidas da empresa no cumprimento da responsabilidade social em torno das três direcções da indústria, sociedade e desenvolvimento de talentos.

      De acordo com o presidente do Conselho de Administração da Macau Pass, Sun Ho, 2022 foi “um ano extraordinário” tanto a nível nacional como internacional, sendo também um ano “cheio de desafios e mudanças” para a Macau Pass.

      Apesar dos impactos económicos devido à pandemia, a Macau Pass cooperou com o Governo de Macau para promover os projectos de incentivos ao consumo, incluindo a “Terceira ronda do Plano de benefícios de consumo por meio electrónico contra a epidemia”, o “Plano de subsídio de vida para aliviar o impacto negativo da epidemia nos residentes da Região Administrativa Especial de Macau em 2022” e o “Carnaval de Consumo de Macau 2022”.

      “Esperamos conectar e participar na economia digital, incentivar o consumo electrónico, beneficiar os cidadãos com transacções seguras e convenientes, bem como impulsionar a economia da região”, assinalou Sun Ho. Durante o lançamento da terceira ronda de assistência económica a residentes, a plataforma MPay lançou promoções de desconto e devolução de pagamento, tendo injectado na economia da região mais de20 milhões de patacas. “Isso estimulou efectivamente o consumo local em Macau”, afirmou.

      O responsável reiterou ainda que a empresa cumpriuactivamente as responsabilidades sociais. Segundo avançou, no ano passado, a Macau Pass impôs a isenção das taxas de transacção a mais de 11.300 estabelecimentos comerciais, tendo o valor isentado ultrapassado os 50 milhões de patacas, de forma a apoiar as Pequenas e Médias Empresas a superar as dificuldades e responder ao apelo das autoridades para aliviar a sua pressão operacional, segundo a Macau Pass.

      A Macau Pass foi adquirida e tornou-se uma subsidiária indirecta da AGTech Holdings Limited, do grupo Alibaba, em Março de 2022, e aumentou o seu capital para 100 milhões de patacas de forma a fortalecer a sua solvência.

      Recorde-se que os dados da Autoridade Monetária de Macau mostram que o valor total das transacções de pagamentos móveis em Macau aumentou de 18,52 mil milhões de patacas em 2021 para cerca de 25,86 mil milhões de patacas em 2022, representando um aumento anual de 39,6% e uma subida de mais de 20 vezes em relação a 2019.

      No entanto, mesmo sendo detentor da aplicação de pagamento móvel mais utilizada em Macau, a Macau Pass não escapou a uma queda do volume de negócio durante a Covid-19, uma vez que “a economia de Macau depende do turismo, e que o mercado de pagamento electrónico se baseia principalmente na venda a retalho e no consumo de restauração”. Segundo o Relatório do Conselho de Administração, a Macau Pass registou uma diminuição de negócio de 4% no ano passado. As perdas anuais registadas da empresa em 2022 foram de 24,30 milhões de patacas, em contraste com o balanço das contas em 2021 que registou umlucro de 5,49 milhões de patacas.