Edição do dia

Terça-feira, 18 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
30.6 ° C
33.2 °
29.9 °
89 %
4.6kmh
40 %
Ter
31 °
Qua
31 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioDesportoTrês anos depois, equipas internacionais voltam este fim de semana aos lagos...

      Três anos depois, equipas internacionais voltam este fim de semana aos lagos Nam Van  

      Este fim-de-semana e na próxima quinta-feira, feriado, as tradicionais regatas dos Barco de Dragão voltam aos lagos Nam Van, numa edição em que Macau poderá voltar a acolher equipas internacionais, algo que já não acontecia desde 2019 devido às restrições epidémicas.

       

      Como manda a tradição, nos dias 17, 18 e 22 o Centro Náutico da Praia Grande acolhe mais uma edição das Regatas Internacionais de Barcos-Dragão de Macau. Este ano as competições contam com a participação de ao todo 168 equipas de Macau, Hong Kong, e da China Continental, e também da Austrália, Tailândia, Singapura e Filipinas. O evento é organizado pelo Instituto do Desporto (ID), pela SJM Resorts, S.A. (SJM) e pela Associação de Barcos-Dragão de Macau, China, e também com o apoio do Instituto para os Assuntos Municipais e pela Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública.

      Para dar boa sorte e “abençoar” o certame, na quarta-feira a comissão organizadora realizou uma cerimónia de bênção com os habituais rituais e costumes tradicionais, marcando presença ilustres figuras como Pun Weng Kun, Lau Cho Un e Lam Lin Kio, a presidente e os vice-presidentes do Instituto do Desporto (ID), Angela Leong e Rui Cunha, administradora e secretário-geral da SJM, Lai Pak Leng, presidente da Associação de Barcos de Dragão de Macau, Joana Maria Noronha, subdirectora da Direcção dos Serviços da Administração e Função Pública, Lam Sio Um e Vong Ka Hou, dirigentes do Conselho de Administração do Instituto para os Assuntos Municipais (IAM).

      Este sábado, dia 17, as provas preliminares arrancam às 9h com as pequenas embarcações (de 200 metros), nas categorias Open e Senhoras, seguidas das provas das embarcações das equipas da Função Pública e Universitárias. À tarde, seis equipas de cada respectiva categoria vão às grandes finais, terminado o dia com a habitual cerimónia de entrega de prémios às equipas vencedoras. Já no domingo, dia 18, entram em competição as grandes embarcações (500m) nas categorias Open e Senhoras, com as provas a terem início pelas 9h30, e a terminarem com as grandes finais às 15h20.

      A grande novidade este ano é que depois de três anos, o evento volta a acolher equipas internacionais, algo que não foi possível fazer em 2020, 2021 e 2022 devido às restrições epidémicas. É, portanto, na quinta-feira, dia 22, dia do feriado do dia do Festival do Dragão, que vão decorrer as “Regatas Internacionais de Barcos-Dragão de Macau por Convite para Grandes Embarcações”, e a “Regata Universitária de Barcos-Dragão de Macau por Convite para Grandes Embarcações”. Equipas oriundas do interior da China, Hong Kong China, Austrália, Tailândia, Singapura e Filipinas vão disputar os títulos com as equipas de Macau, com as provas a iniciarem às 8h45 e as grandes finais a decorrerem às 15h30 (senhoras) e 15h50 (open).

      Aquando do anúncio do programa pela comissão organizadora em Março, esta indicou que a participação destas equipas vai certamente “elevar o nível da competição e intensificar o intercâmbio desportivo entre as diferentes regiões”. O presidente do ID, Pun Weng Kun, na ocasião referiu que “ao ligar vários elementos, como desporto, turismo e cultura, e ao alargar a sua atmosfera tradicional de festa, as Regatas Internacionais de Barcos-Dragão de Macau continuarão a ser um festival tradicional envolvente e um evento de referência em Macau”.

      Já a também presente Daisy Ho, administradora-delegada da SJM, recordou que a SJM é entidade organizadora, patrocinadora e também participante “há décadas”, e que é uma “honra” co-organizar a competição deste ano com o ID e a Associação de Barcos-Dragão de Macau. A filha de Stanley Ho expressou a vontade de que o evento continue a ser uma plataforma de promoção “da cultura desportiva tradicional chinesa”, e que este atraia “a atenção internacional para este item do património cultural intangível”, atraindo mais visitantes e maximizando “o potencial da sinergia ‘desporto + turismo’”.

      No mesmo sentido, no seu comunicado, o ID indicou que durante o decorrer das provas, o centro náutico vai também ser palco de  actuações de várias organizações de cultura e de arte “para potenciar a atmosfera festiva do evento”. Haverá igualmente uma zona de tendas com produtos à venda, e uma zona de tiragem de fotografias dedicada ao tema das provas de barcos-dragão, por forma a que todos os cidadãos e turistas possam apreciar as provas de barcos-dragão, e de “desfrutar de um emocionante festival”, indica.

      Outra inovação da edição deste ano é o da realização da inédita “Taça de Hong Kong e Macau”, com provas adicionais nos dias 24 e 25 de Junho. A realizar-se com o intuito de “reforçar o intercâmbio desportivo entre Macau e Hong Kong”, a taça será disputada entre as equipas que participam na Regata de Barcos-Dragão de Macau para Grandes Embarcações por convite no dia 22 de Junho, e equipas do interior da China, Hong Kong e do exterior que participam na Regata de Barcos-Dragão de Hong Kong por convite em Hong Kong, esclarece o ID, acrescentando que esta “taça revela a cooperação entre as duas regiões e promove o modelo de turismo desportivo multi-destinos”.