Edição do dia

Segunda-feira, 24 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
29 ° C
29.9 °
28.9 °
89 %
4.6kmh
40 %
Seg
29 °
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioCulturaCarlos Morais José lança revista de sinologia na Fundação Rui Cunha ...

      Carlos Morais José lança revista de sinologia na Fundação Rui Cunha  

       

      Composta por textos da autoria de diversos sinólogos, “Via do Meio” é a nova revista trimestral que vai ser apresentada na quarta-feira, 14 de Junho, às 18h30 na Fundação Rui Cunha. Com a cultura chinesa como foco central, esta revista pretende dar a conhecer “temas relacionados com pensamento, história, literatura (com a poesia em lugar de destaque), religião, linguística, pintura, etc”, esclarece em comunicado Carlos Morais José, director da revista. Elaborada pela equipa do jornal Hoje Macau, e com contribuições de autores originários de países como Portugal, China, Brasil, Alemanha ou Cabo Verde, a revista “Via do Meio” tem 148 páginas. No lançamento na Fundação Rui Cunha, serão apresentadas o primeiro e o segundo número da revista.

      De acordo com Carlos Morais José, “Via do Meio” é pioneira no seu género por ser a primeira revista em português totalmente dedicada à cultura chinesa. A criação desta revista é uma tentativa de “expansão” da sinologia chinesa, uma área que, na perspectiva do director, desde o século XIX se encontra em “estado de pousio, mas que nas últimas décadas tem conhecido, sobretudo em Portugal e no Brasil, algum desenvolvimento”.

      “Fomos os primeiros a mostrar a China à Europa, através dos relatos dos padres jesuítas e de escritores como Fernão Mendes Pinto. E também fomos os primeiros a trazer o Ocidente para a China, como o Farol da Guia ou a primeira impressora Gutenberg, recorda Carlos Morais José. “É a altura de, aqui em Macau, mantermos a nossa tradição de sermos os primeiros. A Via do Meio percorre essa senda de pioneirismo. Posso estar enganado, mas creio que não existe uma revista deste tipo em nenhuma língua europeia”, declara.