Edição do dia

Segunda-feira, 17 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva fraca
28.1 ° C
29.9 °
27.9 °
94 %
3.6kmh
40 %
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeCEM defende um sistema de fornecimento de energia diversificado e limpo na...

      CEM defende um sistema de fornecimento de energia diversificado e limpo na Grande Baía

      A ideia foi defendida pelo presidente do conselho de administração da CEM, na Cimeira da Indústria de Energia de Guangdong, Hong Kong e Macau. As eléctricas assinaram o Acordo Estrutural sobre Resposta de Emergência de Quatro Companhias de Electricidade em Três Regiões na Zona da Grande Baía. Fu Jianguo realçou que as quatro companhias de electricidade das três regiões “têm a responsabilidade de unir esforços, graças à sua proximidade geográfica, para em conjunto construir um sistema de fornecimento de energia diversificado e limpo em linha com a política estratégica do país de pico de carbono e neutralidade carbónica”.

      A Companhia de Electricidade de Macau (CEM) participou, no passado dia 1 de Junho, na Cimeira da Indústria de Energia de Guangdong, Hong Kong e Macau que teve lugar no Island Shangri-La Hong Kong, anunciou ontem a eléctrica local em nota de imprensa.

      Já na sua 11.ª edição, a cimeira, organizada pela CLP Holdings Limited (CLP), com o tema “Aproveitar as Oportunidades de Descarbonização e a Zona da Grande Baía”, visou “discutir e vislumbrar o desenvolvimento verde das companhias de electricidade da Grande Baía na senda de atingir a meta de neutralidade carbónica e pico de carbono”, referiu a CEM.

      Fu Jianguo, presidente do conselho de administração da CEM, representou, ao mais alto nível, a empresa e, durante o seu discurso na cerimónia de abertura, realçou que as quatro companhias de electricidade das três regiões “têm a responsabilidade de unir esforços, graças à sua proximidade geográfica, para em conjunto construir um sistema de fornecimento de energia diversificado e limpo em linha com a política estratégica do país de pico de carbono e neutralidade carbónica”.

      O mesmo responsável sublinhou que “esta colaboração pode apoiar o rápido desenvolvimento e alavancagem da Grande Baía, que também é a visão compartilhada da população da região”. “Todas as empresas participantes colocaram sobre si o peso da missão e o desafio de uma longa jornada pela frente”, considerou Fu Jianguo, que acrescentou que, para apoiar activamente o objectivo de duplo carbono do país, a CEM “tem continuado a pesquisar para optimizar a sua rede de abastecimento de energia, promover a digitalização das suas operações de rede e adoptar energia renovável e, por isso, a fiabilidade do seu fornecimento de energia tem consistentemente estado ao nível dos melhores do mundo, injectando energia efervescente no desenvolvimento sustentável e inteligente de Macau”.

      Os principais oradores da cimeira foram Frank Chan, deputado de Hong Kong à Assembleia Popular Nacional; Mike Thomas, director-executivo do The Lantau Group; Guan Chenghua da Universidade Normal de Pequim; Shih Yicheng da Universidade Central de Finanças e Economia; Charles Ng, vice-presidente da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong (Guangzhou); e Sun Fuyou, vice-presidente da Huawei, entre outros. Nas suas intervenções abordaram vários temas, incluindo as implicações das políticas, integração na Grande Baía, tecnologia verde, economia verde, redes digitais e muito mais. Os oradores também tiveram discussões aprofundadas com os participantes sobre diferentes tópicos.

      Richard Lancaster, director-executivo da CLP Holdings, Meng Zhenping, presidente do conselho de administração da CSG, Yang Changli, presidente da CGN, foram outros dos nomes sonantes presentes na cimeira e que, juntamente com Fu Jianguo, assinaram o Acordo Estrutural sobre Resposta de Emergência de Quatro Companhias de Electricidade em Três Regiões na Zona da Grande Baía.

      Recorde-se que a Cimeira da Indústria de Energia de Guangdong, Hong Kong e Macau, que teve a sua estreia em Macau em 2011, tornou-se um evento de marca na indústria de energia da Grande Baía, servindo como uma importante plataforma para as companhias de electricidade construírem consensos e promoverem um desenvolvimento sinérgico.