Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nublado
33.2 ° C
33.2 °
33.2 °
78 %
5.2kmh
99 %
Ter
33 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioEconomiaBaixas despesas per capita dos visitantes impedem recuperação de negócio, teme associação...

      Baixas despesas per capita dos visitantes impedem recuperação de negócio, teme associação comercial

      O consumo dos visitantes em Macau foi abaixo das expectativas do sector comercial e do turismo, cuja situação está a preocupar a Federação da Indústria e Comércio de Macau Centro e Sul Distritos. O presidente da associação, Lei Cheok Kuan, assinalou que as empresas locais ainda não estão totalmente relaxadas diante dos anteriores impactos económicos e “a operação de pequenas e médias empresas não está tão fácil quanto o público imaginava”, alertou.

      Na sequência dos resultados do inquérito às despesas dos visitantes, divulgados na quarta-feira pela Direcção dos Serviços de Estatística e Censos, no primeiro trimestre, a despesa per capita dos turistas cifrou-se em 3.027 patacas, o que corresponde a uma diminuição de 13,9% em termos anuais, apesar do acentuado aumento homólogo de 163,7% do número de visitantes entrados em Macau.

      Já a despesa per capita dos visitantes do interior da China com visto individual também registou um decréscimo de 45,1%, para 3.939 patacas, e os visitantes que vieram passar férias gastaram menos 50,6% em termos anuais, com uma despesa cifrada em 3.851 patacas.

      Lei Cheok Kuan, em declarações ao Jornal Ou Mun, apontou que o consumo de turistas não atingiu as expectativas, e a despesa total em geral não sofreu quebras sérias apenas por causa do elevado fluxo de visitantes. “A economia do interior da China também está em fase de recuperação, o rendimento dos residentes do Continente não é tão alto quanto antes da pandemia, os preços de vida continuam a subir e a vontade geral de consumo está baixa”, analisou.

      Prosseguiu que “os turistas estão obviamente cautelosos em relação ao consumo quando viajam para o exterior, e o consumo per capita dos turistas antes da pandemia equivale à soma do consumo de três turistas hoje em dia”. O responsável admitiu ainda que as excursões turísticas tendem a fazer uma viagem rápida a diversas atracções, pelo que raramente fazem compras nas lojas e não representam uma ajuda para os negócios dos comerciantes nas áreas turísticas.

      Lei Cheok Kuan destacou que os comerciantes até têm medo de aumentar os preços apesar do aumento dos custos da importação dos produtos.

      Por outro lado, com vista a incentivar o consumo dos visitantes, Lei Cheok Kuan sugeriu ao Governo que estude com as autoridades da China para aliviar as restrições de bagagem dos turistas do interior da China, permitindo-lhe que levem consigo bens de valor superior a cinco mil renminbis, e joias de ouro com peso superior a 50 gramas.

       

      C.C.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau