Edição do dia

Segunda-feira, 17 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
29.9 °
27.9 °
94 %
4.6kmh
40 %
Dom
28 °
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeMacau Pass autorizado a cooperar com as principais carteiras electrónicas no Sudeste...

      Macau Pass autorizado a cooperar com as principais carteiras electrónicas no Sudeste Asiático  

      A empresa local abre assim o espectro no mercado asiático fornecendo serviços em países como Filipinas, Malásia e Tailândia. Com a aprovação, além do Alipay, AlipayHK, WeChat Pay, Simple Pay e outras e-wallets lançadas por outros bancos em Macau, os dispositivos de pagamento Macau Pass podem agora também aceitar GCash, Touch ‘n Go eWallet e TrueMoney, seguindo o Kakao Pay da Coreia do Sul.

       

      O Macau Pass foi oficialmente aprovado para fornecer serviços de aquisição para e-wallets de parceiros líderes de mercado Alipay+ das Filipinas, Malásia e Tailândia, anunciou ontem a empresa em nota de imprensa.

      Com a aprovação, além do Alipay, AlipayHK, WeChat Pay, Simple Pay e outras e-wallets lançadas por outros bancos em Macau, os dispositivos de pagamento Macau Pass podem agora também aceitar GCash, Touch ‘n Go eWallet e TrueMoney, seguindo o Kakao Pay da Coreia do Sul. “Soluções digitais abrangentes e inovadoras são a chave para acelerar a transformação digital da indústria de serviços de Macau”, considerou Sun Ho, director-executivo da Macau Pass, citado pela mesma nota de imprensa.

      GCash, Touch ‘n Go eWallet e TrueMoney “têm experiências profundas no Sudeste Asiático e uma base de utilizadores significativa nos seus mercados”, refere ainda a Macau Pass. “Através da cooperação com o Alipay+, a solução inovadora de pagamento único acelerará a transformação digital dos comerciantes locais em Macau, criará um ecossistema de pagamentos digitais internacionais conectado com Macau, resolverá o problema de pagamento transfronteiriço para turistas internacionais e ajudará as empresas a encontrar novas oportunidades de crescimento de marketing”, notou ainda a empresa local de pagamentos electrónicos.

      Sun Ho disse ainda que, como um dos principais pagamentos móveis em Macau, o MPay e-Wallet do Macau Pass “continuará a explorar a cooperação estratégica com o Alibaba Group e o Ant Group para expandir ainda mais o comércio eletrónico e o entretenimento, desenvolver e criar um mercado de negócios mais diversificado, bem como explorar oportunidades de comercialização no ecossistema de pagamentos eletrónicos de Macau”.

      Em 2020, o Ant Group lançou o Alipay+, um conjunto de pagamentos digitais transfronteiriços globais e soluções de marketing, que permite que as empresas aceitem os métodos de pagamento dos seus parceiros através de uma integração única. Com a recuperação gradual da economia global, pós-Covid-19, a interação directa com o crescente número de consumidores que usam as carteiras eletrónicas dos parceiros Alipay+ “é positiva para as empresas de Macau procurarem novas oportunidades de negócios”.

      O Sudeste Asiático é a região de e-wallet que mais tem crescido no mundo, de acordo com o relatório Mobile Wallet 2021 divulgado pela Juniper Research, uma empresa de análise de tecnologia digital. Estima-se que, até 2025, seis países do Sudeste Asiático (Singapura, Malásia, Tailândia, Indonésia, Vietname e Filipinas) terão mais de 440 milhões de utilizadores de carteiras electrónicas.

      Actualmente, a Galaxy Macau, a MGM, a Sands Resorts Macau, a SJM Resorts, a Wynn Macau, a Doca dos Pescadores, o grupo Future Bright, o Hotel Lisboa, o Lisboeta Macau, o New Yaohan ou a TurboJet, entre outras empresas em Macau, “estão activamente engajados no lançamento dessas três carteiras electrónicas internacionais”. “Ao mesmo tempo, mais empresas são convidadas a se juntar ao Alipay+ para atrair mais turistas e promover conjuntamente a eficiência dos negócios. A Macau Pass acredita que pode ajudar as empresas do território a fornecer serviços mais convenientes para turistas estrangeiros e contribuir para a recuperação e crescimento económico de Macau”, notou ainda a empresa.