Edição do dia

Segunda-feira, 17 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
29.9 °
27.9 °
94 %
4.6kmh
40 %
Dom
28 °
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande China"Posição da China sobre Ucrânia não mudou" com voto na ONU, diz...

      “Posição da China sobre Ucrânia não mudou” com voto na ONU, diz diplomata chinês

       

      A posição de Pequim sobre a Ucrânia “não mudou”, garantiu ontem um diplomata chinês após um voto favorável da China numa resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) que mencionava a agressão russa em termos condenatórios. “O nosso voto a favor é para a resolução inteira e não deve ser considerado um apoio daquele parágrafo. (…) A posição da China sobre a Ucrânia não mudou”, disse à Lusa uma fonte oficial da missão da China junto da ONU, que preferiu não se identificar. Em causa está a votação de uma resolução na Assembleia Geral da ONU na segunda-feira, que foi promovida por países democráticos europeus e dedicada à cooperação entre as Nações Unidas e o Conselho da Europa.  Contudo, apesar de o foco não ser o conflito da Rússia na Ucrânia, a resolução continha um parágrafo que referia os “desafios sem precedentes que a Europa enfrenta actualmente após a agressão da Federação Russa contra a Ucrânia, e anteriormente contra a Geórgia, e o fim da participação da Federação Russa no Conselho da Europa”.

      No parágrafo também se apelava “ao reforço da cooperação entre a ONU e o Conselho da Europa, nomeadamente para restabelecer e manter prontamente a paz e a segurança com base no respeito pela soberania, integridade territorial e independência política de qualquer Estado, garantir a observância dos direitos humanos e do direito internacional humanitário durante as hostilidades, fornecer reparação às vítimas e levar à justiça todos os responsáveis pelas violações do direito internacional”. De acordo com o diplomata chinês, trata-se de “uma longa resolução que se concentra na cooperação entre as Nações Unidas e o Conselho da Europa”, em que Pequim “se absteve de votar neste parágrafo específico”.

      Apesar do aparente distanciamento da China em relação aos termos condenatórios da agressão russa, as autoridades ucranianas saudaram o voto chinês, que ocorreu menos de uma semana após o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, ter falado pela primeira vez, por telefone, com seu homólogo chinês, Xi Jinping, desde o início da invasão russa. “A China votou a favor de uma resolução da ONU que se refere à Rússia como um (Estado) agressor”, saudou Iryna Konstankevych, vice-presidente do comité de informação do Parlamento ucraniano, segundo o ‘site’ da instituição. Konstankevych lembrou que, além da China, países “considerados amigos da Rússia”, como Cazaquistão, Arménia, Índia e Brasil, também votaram a favor da Resolução. Na visão do embaixador da Ucrânia na ONU, Sergiy Kyslytsya, a Rússia fracassou na sua “tentativa de remover desta resolução a menção de agressão contra a Ucrânia”. Contudo, apesar do otimismo das autoridades ucranianas, vários analistas desvalorizaram o voto de Pequim, sublinhando o carácter não vinculativo da resolução.

       

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau