Edição do dia

Quinta-feira, 23 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
26.4 ° C
28.2 °
25.9 °
94 %
3.6kmh
40 %
Qui
27 °
Sex
26 °
Sáb
27 °
Dom
28 °
Seg
29 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeSistema auxiliar de terapia da fala com inteligência artificial tem sido bastante...

      Sistema auxiliar de terapia da fala com inteligência artificial tem sido bastante solicitado  

      Desde o início do funcionamento em Março de 2022, o sistema foi utilizado por mais de 1.000 crianças, das quais cerca de 200 estão a usar o sistema em casa, o que perfaz um total de mais de 4.000 pessoas assistidas. Este é um dos grandes apoios à aprendizagem dos alunos do ensino infantil e primário após a pandemia de Covid-19. Ao mesmo tempo, o Governo criou os centros de Avaliação Conjunta Pediátrica de Reabilitação Pediátrica, “com o objectivo de prestar serviços de triagem, avaliação, tratamento e reabilitação a crianças, dos 0 aos 6 anos de idade, com desordens no desenvolvimento”.

       

      O Governo da RAEM considera que está a prestar um efectivo apoio à aprendizagem dos alunos do ensino infantil e primário após a pandemia de Covid-19, afirmou o subdirector da Direcção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude (DSEDJ), Teng Sio Hong, em resposta a uma interpelação escrita do deputado da Assembleia Legislativa (AL) Ma Io Fong.

      De igual modo, acrescenta o responsável da DSEDJ, o Executivo liderado por Ho Iat Seng criou, sucessivamente, o Centro de Avaliação Conjunta Pediátrica e o Centro de Reabilitação Pediátrica, “com o objectivo de prestar serviços de triagem, avaliação, tratamento e reabilitação a crianças, dos zero aos seis anos de idade, com desordens no desenvolvimento”. “A fim de reduzir o impacto do uso de máscara na aprendizagem de línguas, as escolas ajustaram, em tempo oportuno e consoante a situação, os métodos pedagógicos, como, por exemplo, de multimédia, o que permitiu aos alunos observarem a face humana, a conhecerem as emoções e o formato da boca no momento da pronúncia, entre outros aspectos, e continuaram a acompanhar a aprendizagem dos alunos”, referiu.

      A preocupação do deputado surge no momento que, com a abertura a uma sociedade sem máscaras faciais, depois de controlada a pandemia de Covid-19, os alunos começaram a demonstrar algumas dificuldades de aprendizagem, muito por culpa de durante três anos não terem visualizado o rosto e as expressões faciais e labiais dos seus professores, algo preponderante em idades tão tenras no processo de aprendizagem.

      Teng Sio Hong, no entanto, revelou que, uma vez que as autoridades prestam “grande atenção ao crescimento físico e mental dos alunos, os Serviços de Saúde introduziram, recentemente, um sistema auxiliar de terapia da fala com inteligência artificial, fornecendo recursos de treino online para que crianças com transtorno do desenvolvimento da linguagem, entre um e seis anos de idade, possam usufruir de treinos contínuos de reabilitação”, afirmou, acrescentando que o sistema “já está a ser utilizado nos Serviços de Saúde, na DSEDJ e em várias instituições sob a tutela do Instituto de Acção Social (IAS) de tratamento precoce de crianças. Desde o início do funcionamento em Março de 2022, o sistema foi utilizado por mais de 1.000 crianças, das quais cerca de 200 estão a usar o sistema em casa, o que perfaz um total de mais de 4.000 pessoas assistidas”.

      Paralelamente, lembrou o subdirector da DSEDJ,  o organismo público, através da participação em avaliações internacionais, incluindo o Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA) e o Progresso no Estudo Internacional de Leitura e Literacia (PIRLS), “continua a rever o desenvolvimento da literacia linguística dos alunos de Macau e, tendo como referência os resultados e as informações destas avaliações internacionais, inicia diversos trabalhos para melhorar a literacia linguística dos alunos”. “Lembro que durante o período do surto epidémico, as escolas planearam os currículos de acordo com as exigências das competências académicas básicas da educação regular do regime escolar local”, atirou.

      Com o objectivo de prestar apoio aos docentes na realização de actividades pedagógicas linguísticas concretas, a DSEDJ criou ainda o site dedicado a currículos e recursos educativos, no qual organizou recursos pedagógicos electrónicos correntes, de modo a proporcionar recursos, vídeos, materiais didácticos, projectos pedagógicos e outros instrumentos de aprendizagem partilhados entre Macau e outras regiões, incluindo de aprendizagem de línguas, complementou ainda Teng Sio Hong, enfatizando que têm também sido criados gradativamente “recursos pedagógicos para a língua chinesa, disponibilizando vídeos audiovisuais sobre a pronúncia de cantonense e de mandarim, entre outros. Tendo em conta o ajustamento das medidas de uso de máscara, impostas pelo Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, e a emissão das respectivas orientações, depois do encontro entre a DSEDJ e os Serviços de Saúde e de auscultadas as opiniões do sector educativo, a primeira anunciou que, a partir do dia 27 de Fevereiro, de um modo geral, o pessoal docente e os alunos das escolas do ensino não superior não teriam de usar máscara durante as aulas ou actividades, de modo a que os alunos regressassem ao ambiente normal de aprendizagem de línguas”.

      De acordo com os dados dos Serviços de Saúde, “manteve-se estável a procura de serviços de tratamento precoce durante o surto de Covid-19”, sendo que o tempo de espera actual para a primeira consulta no Centro de Avaliação Conjunta Pediátrica é, em média, de 4 semanas. “O tempo médio de espera para os casos gerais de terapia ocupacional e da fala no Centro de Reabilitação Pediátrica é de cerca de 8 a 11 semanas e para os casos graves o tratamento é imediato. Os Serviços de Saúde, através do prolongamento do horário de funcionamento, do aumento de serviços aos fins-de-semana e da aquisição de serviços de tratamento precoce a instituições sem fins lucrativos, procuraram, de forma contínua, reduzir o tempo de espera para tratamentos”, concluiu o subdirector da DSEDJ.