Edição do dia

Quarta-feira, 19 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
29 ° C
29.9 °
28.9 °
94 %
3.6kmh
20 %
Ter
29 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioPolíticaHo Iat Seng convida empresas europeias a expandir negócios na Grande Baía

      Ho Iat Seng convida empresas europeias a expandir negócios na Grande Baía

      Durante a sua visita a Bruxelas, o Chefe do Executivo reuniu-se com Helena König, secretária-geral adjunta do Serviço Europeu para a Acção Externa (SEAE) para os Assuntos Económicos e Globais. No encontro, Ho Iat Seng falou sobre aquilo que considera ser o “sucesso” da aplicação do princípio “um país, dois sistemas” em Macau e aproveitou para convidar as empresas dos Estados-membros da União Europeia (UE) a expandirem os seus negócios na Grande Baía.

       

      Ho Iat Seng, que está em Bruxelas, encontrou-se na terça-feira com Helena König, secretária-geral adjunta do Serviço Europeu para a Acção Externa (SEAE) para os Assuntos Económicos e Globais. Segundo um comunicado divulgado ontem pelo Governo, no encontro, ambas as partes falaram sobre o reforço da cooperação comercial entre Macau e a União Europeia (UE) e a recuperação económica após a pandemia.

      O Chefe do Executivo convidou os responsáveis europeus a visitarem Macau e sublinhou aquilo que, na sua perspectiva, tem sido uma aplicação de sucesso do princípio “um país, dois sistemas” na região. Na opinião de Ho, aliás, o princípio “um país, dois sistemas” tem protegido “a estabilidade e harmonia da sociedade” de Macau.

      Depois de fazer uma apresentação sobre a situação da região e o seu futuro desenvolvimento, apontou que “apesar do grande impacto causado pela pandemia no crescimento económico, nos últimos três anos, o Governo lançou uma série de medidas de apoio financeiro”. Durante os últimos três anos, recorde-se, o Executivo implementou várias restrições na região que fizeram com que os índices económicos do território declinassem. Para tentar compensar, as autoridades concederam três rondas de apoio ao consumo por meio electrónico. Isto permitiu, na opinião do Chefe do Executivo, “uma salvaguarda da estabilidade social”.

      Por outro lado, o Chefe indicou que o Governo da RAEM está a adoptar a política de desenvolvimento diversificado da economia através do plano “1+4”, de forma a “revitalizar de forma activa o sector turístico e a impulsionar a recuperação estável da economia”.

      Lembrando que a UE é o segundo maior parceiro de Macau na cooperação comercial, Ho Iat Seng indicou que “são bem-vindas as empresas dos Estados-membros que queiram expandir os seus negócios na Grande Baía Guangdong, Hong Kong, Macau e na Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin”.

      Por sua vez, Helena König, citada no comunicado do Governo, indicou que o encontro com Ho Iat Seng produziu “resultados frutíferos” e referiu ainda que, após o fim da pandemia, “seria bastante importante impulsionar a recuperação da economia global”. A responsável europeia reiterou que Macau “é um dos mais importantes parceiros comerciais da UE”, referindo que “espera um reforço contínuo da cooperação comercial por ambas as partes, e assim alargá-la para as restantes cidades da Grande Baía”.

       

      Encontros com chefe de missão da China junto da UE e embaixador chinês na Bélgica

       

      O Chefe do Executivo também se encontrou, na terça-feira, com o chefe de missão da China junto da União Europeia, Fu Cong, e outro com o embaixador da China na Bélgica, Cao Zhongming. Segundo o comunicado do Governo, os dois encontros serviram para a troca de impressões sobre o intercâmbio e cooperação entre Macau e a União Europeia (UE). Nos encontros, Ho Iat Seng voltou a falar sobre o desenvolvimento e oportunidades em Hengqin, repetindo que “Macau tem um conjunto de vantagens únicas, no âmbito do sucesso da implementação do princípio ‘um país, dois sistemas'”. O embaixador Cao Zhongming, lembrou que tanto a China como a Bélgica mantêm-se sob um “desenvolvimento positivo” e a cooperação entre Macau e a Bélgica “antevê uma perspectiva ampla em várias áreas”. Por outro lado, garantiu que a Embaixada pretende “aprofundar, conjuntamente com o Governo da RAEM, o intercâmbio e a cooperação entre as duas regiões, e com a Europa, irá impulsionar mais o desenvolvimento local da economia, sociedade e cultura e turismo”. Já Fu Cong afirmou que a missão da China junto da UE apoia Macau no sentido de “aproveitar plenamente as próprias vantagens no reforço do intercâmbio e cooperação com a UE em várias áreas, nomeadamente o turismo, cultura, educação e finança”.