Edição do dia

Terça-feira, 7 de Fevereiro, 2023
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
17.9 ° C
19.9 °
17.9 °
94 %
1kmh
40 %
Ter
22 °
Qua
19 °
Qui
20 °
Sex
20 °
Sáb
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Internacional UE condena "crime de guerra" russo após ataque a prédio residencial em...

      UE condena “crime de guerra” russo após ataque a prédio residencial em Dnipro

      A União Europeia (UE) condenou ontem o bombardeamento russo de um prédio residencial na cidade de Dnipro, no sudeste da Ucrânia, que fez mais de três dezenas de mortos, considerando-o um “crime de guerra”. “Os ataques intencionais contra civis são crimes de guerra e os responsáveis por eles devem ser castigados, leve o tempo que levar”, disse ontem o primeiro-ministro da Suécia, Ulf Kristersson, país que ocupa a presidência semestral do Conselho da UE, falando de um ataque que, no sábado, provocou pelo menos 36 mortos, incluindo duas crianças, e 35 desaparecidos. Moscovo já negou a responsabilidade pelo ataque contra o prédio residencial, atribuindo a culpa à defesa aérea da Ucrânia. A Suécia e a UE “condenam veementemente os ataques sistemáticos e contínuos da Rússia contra civis, propriedades civis e infraestruturas essenciais na Ucrânia”, acrescentou o líder sueco, incluindo “o disparo de um míssil contra um edifício no sábado em Dnipro”.

      Em Bruxelas, o porta-voz da Comissão Europeia para os Negócios Estrangeiros, Peter Stano, também denunciou como um “crime de guerra” o “ataque atroz” russo, reiterando o pedido a Moscovo que “pare imediatamente com estes atos”. O número de mortos no edifício em Dnipro subiu ontem para 36, sendo considerado um dos mais elevados num ataque contra civis. Entre as vítimas mortais estão duas crianças, segundo o chefe da polícia nacional ucraniana, Igor Klymenko, citado pela agência francesa AFP. Além das vítimas mortais, as esquipas de socorro encontraram 75 feridos, entre os quais 15 crianças, e resgataram 39 pessoas após duas noites de buscas. As autoridades locais disseram que ainda falta encontrar 35 residentes do edifício, o que faz temer que o número de mortos possa duplicar. As operações de salvamento, em que participa um pelotão de cães, ainda estavam ontem em curso para tentar encontrar sobreviventes. As forças armadas russas admitiram os bombardeamentos de sábado, mas sem qualquer referência ao edifício residencial em Dnipro. “Em 14 de Janeiro, um ataque com mísseis foi realizado contra o sistema de comando e controlo militar da Ucrânia e instalações de energia. Todos os objetos designados foram atingidos”, disse o porta-voz do Ministério da Defesa russo, Igor Konashenkov. O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, precisou, no domingo, que o ataque foi realizado pelas forças russas a partir da região de Kursk, a algumas centenas de quilómetros de Dnipro.

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau