Edição do dia

Sábado, 22 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
30.9 ° C
31.9 °
30.9 °
79 %
4.1kmh
40 %
Sáb
31 °
Dom
30 °
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaSubida das exportações ajuda China a registar excedente recorde em 2022

      Subida das exportações ajuda China a registar excedente recorde em 2022

      O excedente comercial da China registou um valor recorde de 877,6 mil milhões de dólares em 2022, graças a uma subida de 7% nas exportações, apesar dos impactos dos confinamentos. As exportações aumentaram para 3,95 biliões de dólares, segundo dados divulgados pela Administração Geral das Alfândegas chinesa. No entanto, o crescimento de 7% ficou muito abaixo da taxa de 29,9% registado em 2021, com o enfraquecimento da procura nos Estados Unidos e na Europa.

      Também as importações, que aumentaram 30,1% em 2021, subiram apenas 1,1% no ano passado, à medida que o crescimento da China, a segunda maior economia do mundo, desacelerou.

      O excedente comercial da China aumentou 29,7% em relação ao anterior recorde, fixado em 2021, que era já o maior excedente de todos os tempos em qualquer país do mundo. “O comércio exterior e as exportações da China mostraram forte resiliência diante de muitas dificuldades e desafios”, disse o porta-voz da Administração Geral das Alfândegas, Lu Daliang, numa conferência de imprensa. O crescimento das exportações desacelerou no final do ano após a Reserva Federal dos Estados Unidos e outros bancos centrais terem elevado as taxas de juros para controlar a inflação.

      As exportações chinesas caíram em Dezembro, pelo terceiro mês consecutivo, contraindo 10,1% em termos homólogos, para 306,1 mil milhões de dólares. As importações encolheram 7,3%, para 228,1 mil milhões de dólares.

      As exportações chinesas para os Estados Unidos cresceram 1% em relação a 2021, para 581,8 mil milhões de dólares, apesar dos aumentos de tarifas do ex-Presidente norte-americano Donald Trump, muitas dos quais ainda estão em vigor.

      O excedente comercial anual da China com os Estados Unidos, um dos motivos que levou Trump a aumentar as tarifas, subiu 1,8% em 2022, para 404,1 mil milhões de dólares.

      Os analistas esperam que o crescimento das exportações chinesas desacelere ainda mais à medida que aumenta o risco de recessão nas economias ocidentais. “As exportações da China provavelmente irão contrair até meados do ano” de 2023, disse o analista Julian Evans-Pritchard, da consultora Capital Economics, num relatório divulgado na última semana.

      No início de 2022, o comércio também foi prejudicado por medidas anticovid-19 que fecharam Xangai e outros centros industriais em março durante dois meses, interrompendo a produção industrial e o transporte global de mercadoria. As exportações para os 27 países da União Europeia caíram 39,5% em 2022, para 43,6 mil milhões de dólares. O excedente comercial da China com a Europa caiu 50%, para 19,6 mil milhões de dólares.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau