Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens quebradas
30.4 ° C
30.4 °
30.4 °
78 %
6.5kmh
83 %
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeTese de doutoramento sobre plataforma virtual de aprendizagem criada em Macau obtém...

      Tese de doutoramento sobre plataforma virtual de aprendizagem criada em Macau obtém classificação final de “muito bom”

      “Português à Vista” é o nome da plataforma de aprendizagem online, concebida e lançada no território pelo português João Paulo Pereira, antigo docente da Universidade de São José e do Instituto Português do Oriente, que serviu de base para a investigação. Ao PONTO FINAL, o académico sublinha que este “é um projecto feito em Macau e para Macau, em primeiro lugar”.

      A tese de doutoramento intitulada “Desenvolvimento de materiais didáticos audiovisuais para uma plataforma de aprendizagem, com vista ao apoio do ensino e aprendizagem da compreensão do oral do Português como Língua Não Materna em contexto asiático”, que tem por base o projecto da plataforma virtual de aprendizagem “Português à Vista”, concebido e lançado em Macau pelo académico João Paulo Pereira, obteve classificação final de “muito bom”, durante a sua defesa, no passado dia 10 de Janeiro no Salão Nobre do Palácio Ceia, da Universidade Aberta (UAb), em Lisboa.

      A plataforma digital de aprendizagem “Português à Vista” foi lançada em Maio de 2022 pelo departamento de Línguas e Cultura da Faculdade de Artes e Humanidades (FAH) da Universidade de São José (USJ), no qual o seu mentor era professor. A plataforma foi financiada pelo Fundo do Ensino Superior do Governo da RAEM, “e disponibiliza um conjunto de materiais didácticos audiovisuais, com vista a apoiar o ensino e a aprendizagem do Português língua segunda/estrangeira em Macau”, conforme explicou ao nosso jornal o docente português.

      João Paulo Pereira, autor do projecto, afirmou na altura do seu lançamento que, com o projecto “Português à Vista”, “procura-se assim responder à importância crescente da tecnologia no domínio do ensino de línguas, contribuindo com a apresentação de soluções tecnológicas avançadas e inovadoras”, sendo que o seu “ponto de partida é Macau, mas a dimensão lusófona está presente na idealização do projecto”.

      Nas palavras do autor “este é um projecto feito em Macau e para Macau, em primeiro lugar. Há muitos conteúdos sobre Macau. E há vídeos legendados inclusive em chinês. No entanto, também serve o público em geral”. A plataforma está disponível através do link https://portuguesavista.com.

      O projecto contou ainda com a colaboração de várias entidades, desde produtores a canais televisivos como a TDM – Teledifusão de Macau, passando por organismos de cooperação multilateral como o Fórum de Macau.

      No painel de arguentes da defesa da tese, entre outros, esteve Rosa Bizarro, antiga professora e coordenadora do doutoramento em Português da Universidade Politécnica de Macau (UPM) e actual directora da recém-lançada Escola Gerações, bem como Maria José Grosso, professora associada da Universidade de Macau (UM).

      João Paulo Pereira foi professor da FAH da USJ, do Instituto Português do Oriente (IPOR) e professor visitante da UM. Além do grau de Doutor em Didática das Línguas – Multilinguismo e Educação para a Cidadania Global, recentemente obtido pela Universidade Nova de Lisboa e UAb, possui um Mestrado em Ensino do Português como Língua Segunda e Estrangeira, pela Universidade Nova da de Lisboa. É investigador no CHAM – Centro de Humanidades da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Para além de Macau, conta com uma vasta experiência profissional em vários países da Europa e de África, tendo leccionado em instituições de ensino superior e não superior. Tem centrado a sua investigação nas áreas da Aquisição de Língua Segunda, do Desenvolvimento de Materiais Didáticos e dos Estudos Interculturais. Tem vários artigos científicos publicados nestas áreas, assim como materiais didáticos para o ensino do Português como Língua Estrangeira, como o manual “Dar à Língua”, editado pelo IPOR em 2017. Na área do desenvolvimento de materiais didáticos digitais, participou, como revisor científico nos projectos “Escola Virtual”, da Porto Editora, e “Português mais perto”, da Porto Editora/Instituto Camões. É ainda autor de um repositório de recursos digitais para alunos e professores de PL2/PLE, intitulado “ARELP – Árvore de Recursos da Língua Portuguesa” (https://ipor.mo/clp/recursos-didaticos/na-rede). Também se tem dedicado à formação de professores, contando com acções em Macau e noutros países da Ásia-Pacífico, como o Vietname e a Austrália.