Edição do dia

Terça-feira, 7 de Fevereiro, 2023
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
17.9 ° C
19.9 °
17.9 °
94 %
1kmh
40 %
Seg
20 °
Ter
22 °
Qua
19 °
Qui
20 °
Sex
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Política Governo não vai lançar mais cartões de consumo este ano

      Governo não vai lançar mais cartões de consumo este ano

      O Chefe do Executivo descartou a possibilidade de lançar mais um cartão de consumo durante este ano. A afirmação foi feita à margem da Recepção da Festa da Primavera 2023 oferecida pelo Gabinete de Ligação. No seu discurso, Ho Iat Seng afirmou que este ano é um "ano-chave" para a "criação de uma nova conjuntura para Macau".

      Ho Iat Seng indicou ontem que este ano não haverá espaço para mais uma ronda de cartões de consumo. À margem da Recepção da Festa da Primavera 2023 oferecida pelo Gabinete de Ligação, o Chefe do Executivo disse ainda que a meta das receitas de jogo deste ano se vai manter nos 130 mil milhões de patacas, uma vez que a recuperação económica ainda agora está a começar.

      Citado pela Rádio Macau em língua chinesa, o Chefe do Executivo salientou que no orçamento deste ano não está prevista uma nova ronda de cartão de consumo. Na ocasião, Ho Iat Seng indicou também que o regresso da injecção extraordinária de 7 mil patacas no Fundo de Previdência Central – cancelada no início da pandemia – será retomada quando o orçamento estiver mais equilibrado.

      Ho disse também aos jornalistas que não é de esperar um segundo surto durante o Ano Novo Chinês, no entanto, avisou que é expectável que ocorram novos surtos de Covid-19 no futuro e, por isso, voltou a apelar à vacinação.

       

      2023: UM “ANO-CHAVE” PARA A RAEM

      Por ocasião da Recepção da Festa da Primavera 2023 oferecida pelo Gabinete de Ligação do Governo Popular Central na RAEM, o Chefe do Executivo proferiu um discurso em que voltou a lembrar os desafios do passado e em que voltou a mostrar-se optimista quanto ao futuro.

      Ho Iat Seng começou por admitir que “Macau sofreu os repetidos choques da epidemia e um severo abrandamento da economia”, porém, “todos os sectores sociais, unidos, ajudaram-se mutuamente, demonstrando forte resiliência e coesão tenaz”.

      “Sob a forte liderança e com o apoio do Governo Central, o Governo da RAEM, em união com os sectores sociais, coordenou as acções de prevenção e controlo da epidemia e promoveu o desenvolvimento económico e social”, referiu Ho Iat Seng.

      O Chefe do Executivo lembrou que, ao longo do ano passado, o Governo iniciou a revisão à lei de segurança nacional, concluiu a revisão à lei do jogo, implementou a política de desenvolvimento de cinco classes de habitação e deu início à construção da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin.

      “O Presidente Xi Jinping e o Governo Central reconheceram o trabalho desenvolvido pela RAEM ao longo do ano passado e deixaram claro que o Governo Central iria implementar, de forma plena, precisa e inabalável, o princípio de ‘Um país, dois sistemas’ e apoiar integralmente a Região Administrativa Especial de Macau a tirar pleno proveito das suas próprias vantagens e características”, salientou o Chefe do Executivo.

      Reiterando que os últimos três anos “foram particularmente difíceis” e os desafios foram “sem precedentes”, Ho afirmou que “tudo o que Macau conseguiu deveu-se aos esforços dos sectores sociais e dos residentes, do Gabinete de ligação do Governo Central em Macau e demais instituições do Governo Central em Macau, e ainda de todos aqueles que manifestaram a sua atenção e apoio”.

      Assim, o Chefe do Executivo sublinhou que este ano marca o início da implementação do espírito do 20.º Congresso Nacional e é um “ano-chave” para a criação de uma nova conjuntura”. “Apesar de ainda existirem sérios desafios e dificuldades internas e externas, estão a surgir múltiplos factores positivos para o desenvolvimento de Macau”, disse, dando como exemplos o alívio das restrições pandémicas por parte da China, o início dos novos planos de investimento das operadoras de jogo e a aceleração da construção da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin, que “proporcionarão garantidamente novas oportunidades e darão um forte impulso ao desenvolvimento de Macau”.

      “O novo ano traz novas esperanças e novas acções”, disse o líder do Governo, prometendo que o Executivo será mais determinado na implementação do “espírito consagrado no relatório do 20.º Congresso Nacional e nos importantes discursos e instruções do Presidente Xi Jinping”.

      Além disso, Ho Iat Seng asseverou também que o Governo irá “cumprir firmemente o princípio de ‘um país, dois sistemas’, defender com firmeza a soberania, a segurança e os interesses de desenvolvimento nacionais, concretizar activamente as decisões tomadas pelo Governo Central, tirar o melhor proveito das políticas e medidas oferecidas pelo Governo Central para apoiar o desenvolvimento de Macau, coordenar, prevenir e controlar cientificamente a epidemia e o desenvolvimento económico e social, agarrar as oportunidades com preparativos completos, e empenhar-nos na recuperação económica e na aceleração da diversificação adequada da economia, na melhoria das condições de vida dos residentes e no aprofundamento da reforma da Administração Pública”.

      Ho assegurou ainda que o Executivo irá tentar “resolver as incongruências e problemas profundamente arreigados no desenvolvimento económico e social, promover a construção da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin e da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, integrar Macau na conjuntura do desenvolvimento nacional e promover progressos em todas as vertentes”. “Vamos empenhar-nos em criar uma nova conjuntura com a prática de ‘um país, dois sistemas’ com características de Macau, e contribuir para promover, de forma abrangente, o grande rejuvenescimento da nação chinesa com uma modernização de estilo chinês”, referiu.

      Em conclusão, o Chefe do Executivo disse que “a névoa da epidemia vai dissipar-se nesta nova fase de prevenção e controlo epidémicos” e pediu que “todos os sectores sociais continuem a prestar apoio e colaboração ao Governo para uma melhor coordenação da prevenção e controlo da epidemia e do desenvolvimento económico e social com vista a se alcançar, o mais breve possível, a plena normalização da economia e da sociedade”.

       

      GABINETE DE LIGAÇÃO DIZ QUE É NECESSÁRIO REPRIMIR SENTIMENTOS ANTI-CHINA EM MACAU

      Zheng Xincong, director do Gabinete de Ligação do Governo Central em Macau, também proferiu um discurso na ocasião. Citado pela TDM-Rádio Macau, o responsável disse que os sentimentos anti-China devem ser reprimidos, de forma a prevenir a “infiltração e interferência de forças externas na RAEM”. Zheng Xincong disse também que os residentes de Macau devem continuar a defender o patriotismo e o amor por Macau e a apoiar o Chefe do Executivo e o Governo da RAEM na governação. O princípio “um país, dois sistemas” em Macau deve ser transmitido de geração em geração, sublinhou.

      Por outro lado, o director do Gabinete de Ligação do Governo Central em Macau referiu também que o Executivo liderado por Ho Iat Seng coordenou “eficazmente” a prevenção e controlo da epidemia e o desenvolvimento económico e social, tendo feito “todos os esforços para garantir os meios de subsistência das pessoas, manter o desenvolvimento estável de Macau e proteger totalmente a saúde e a segurança da vida de residentes”.