Edição do dia

Sábado, 20 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
trovoada com chuva
26.9 ° C
26.9 °
24.9 °
89 %
2.1kmh
40 %
Sáb
27 °
Dom
27 °
Seg
24 °
Ter
24 °
Qua
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioEconomiaEsperada recuperação do sector das exposições e conferências

      Esperada recuperação do sector das exposições e conferências

      Este ano deverá ser de crescimento do sector das reuniões, incentivos, exposições e conferências (MICE). De acordo com o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM), estão previstos mais de 700 eventos para este ano, o que representará um aumento de 40% em comparação com 2022.

      Depois da crise provocada pelas restrições pandémicas impostas nos últimos anos no território, o sector das reuniões, incentivos, exposições e conferências (MICE) deverá começar a crescer em 2023. A previsão é do Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM), que adiantou à Rádio Macau em língua chinesa que já estão programados mais de 700 eventos.

      Vincent U, presidente substituto do conselho de administração do IPIM, disse à emissora que, se se confirmarem estes eventos, isso representará um aumento de 40% em comparação com os eventos de 2022 e cerca de 50% do nível de 2019, antes da pandemia.

      O responsável disse que a indústria MICE de Macau irá trabalhar arduamente este ano e que as autoridades irão trabalhar com as principais empresas internacionais do sector para aumentar activamente o investimento externo e atrair mais empresas para se instalarem em Macau, nomeadamente aquelas que já organizaram exposições em Macau.

      Li Ziwei, director dos Serviços de Desenvolvimento Económico da Zona de Cooperação Aprofundada em Hengqin, indicou que em breve será anunciado um plano de acção para apoiar a indústria MICE nos próximos três anos. O responsável disse também que já foram implementados oito projectos em Hengqin no âmbito do sector MICE.

      Também citado pela Rádio Macau em língua chinesa, Tony Lam, presidente da Associação de Comércio e Exposições de Macau, disse estar optimista em relação a este ano. O representante do sector disse mesmo que a próxima década será “de glória” para a indústria, já que serão inaugurados locais para eventos e as seis operadoras de jogo vão investir mais neste sector. Recorde-se que, aquando da negociação dos novos contratos com as concessionárias, o Governo exigiu uma aposta mais forte no segmento não jogo, nomeadamente no sector das reuniões e exposições. As seis operadoras de jogo comprometeram-se a investir 108,7 mil milhões de patacas nos próximos dez anos no não jogo. Tony Lam também se mostrou satisfeito por o Governo planear rever o quadro legal do sector de forma a permitir o seu desenvolvimento.

      Para retratar a crise em que estava mergulhado o sector, o presidente da Associação de Comércio e Exposições de Macau revelou que, durante a pandemia, mais de 800 profissionais da área perderam os seus empregos e uma em cada quatro empresas cessaram operações.

      Tony Lam indicou que a idade média dos trabalhadores da indústria é de 60 anos e aproveitou para pedir a formação de novos profissionais, apelando também aos jovens para se juntarem ao MICE.