Edição do dia

Terça-feira, 18 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
31.7 ° C
34.8 °
30.9 °
89 %
5.1kmh
40 %
Ter
32 °
Qua
31 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioCulturaPrémio Revelação Literária da UCCLA com inscrições abertas

      Prémio Revelação Literária da UCCLA com inscrições abertas

      Nomes conhecidos de Macau, como Inocência Mata ou Yao Jing Ming, fazem parte de um júri composto por 11 personalidades do mundo literário e cultural nos diferentes países e regiões onde se fala a língua portuguesa. O prémio tem como objectivo “estimular a produção de obras literárias, nos domínios da prosa de ficção (romance, novela, conto e crónica) e da poesia, em língua portuguesa, por escritores que nunca tenham publicado uma obra literária”.

      Estão abertas as inscrições para a oitava edição do Prémio Revelação Literária – Novos Talentos, Novas Obras em Língua Portuguesa organizado pela União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA) juntamente com a Câmara Municipal de Lisboa. Até 7 de Janeiro, são admitidas candidaturas de concorrentes que sejam pessoas singulares, de qualquer nacionalidade, fluentes na língua portuguesa, com idade não inferior a 16 anos, anunciou a organização em nota de imprensa.

      O júri, composto por 11 personalidades do mundo literário e cultural nos diferentes países e regiões onde se fala a língua portuguesa, terá gente conhecida de Macau, como a professora Inocência Mata, a representar São Tomé e Princípe, ou Yao Jing Ming, o nome real do poeta Yao Feng. Além destas duas individualidades, também de Rui Lourido, representante da UCCLA, e de João Pinto de Sousa, representante do Movimento 800 Anos de Língua Portuguesa, bem como Domício Proença (Brasil), Germano Almeida (Cabo Verde), Hélder Simbad (Angola), José Pires Laranjeira (Portugal), Luís Carlos Patraquim (Moçambique), Luís Costa (Timor-Leste) e Tony Tcheka (Guiné-Bissau) farão parte do naipe de jurados.

      Antes da deliberação do júri, será criada pelas entidades promotoras uma comissão de selecção. “A comissão seleccionará, até 10 obras que considere de maior mérito literário e elaborará um relatório, exclusivamente sobre cada uma dessas obras seleccionadas. As obras seleccionadas, bem como os relatórios da comissão, serão apresentados ao júri que deliberará sobre as obras e os respectivos relatórios”.

      O prémio tem como objectivo “estimular a produção de obras literárias, nos domínios da prosa de ficção (romance, novela, conto e crónica) e da poesia, em língua portuguesa, por escritores que nunca tenham publicado uma obra literária”. “Para o efeito as entidades promotoras atribuirão o prémio a uma obra de entre as que se apresentarem a concurso (…) Cada candidato apenas poderá apresentar uma obra a concurso”, pode ler-se no regulamento desta edição.

      A apresentação da obra a concurso tem algumas especificidades, conforme refere também o regulamento do prémio: “Deverá ser apresentada em formato Word, A4, com o tipo de letra Times New Roman, tamanho 12, espaçamento 1,5 e a página deverá ser formatada de modo que as margens superiores e inferiores apresentem 2,5 centímetros, a margem esquerda apresente quatro centímetros e a margem direita apresente três centímetros, não excedendo as 400 páginas. Como o objectivo é a publicação da obra no espaço lusófono, por motivos editoriais, as obras devem ter um mínimo de 50 páginas de texto”.

      De igual modo, “apenas poderão candidatar-se ao prémio obras redigidas em língua portuguesa, que não tenham sido editadas/publicadas, em papel ou em formato digital e às quais não tenha sido atribuído anteriormente qualquer prémio, incluindo as obras em coautoria”, sublinha a organização.

      O autor vencedor será convidado a participar no Encontro de Escritores de Língua Portuguesa (EELP), promovido pela UCCLA, com oferta de todas as despesas relacionadas com a sua deslocação e alojamento durante o evento. “A entrega do prémio será efectuada em cerimónia pública a organizar pelas entidades promotoras e será objecto de edição e publicação. Se o júri decidir distinguir algumas obras com menções honrosas, estas serão alvo de certificado de mérito, passado pela UCCLA”.

      Este prémio, criado em 2015, é uma iniciativa da UCCLA em conjunto com o Movimento 800 anos da Língua Portuguesa. Em 2020 foram estabelecidas duas parcerias: uma com a editora Guerra e Paz, que passará a responsabilizar‐se pela edição da obra premiada e outra com a Câmara Municipal de Lisboa, no âmbito do Festival Literário de Lisboa.