Edição do dia

Sexta-feira, 14 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
29.2 ° C
30.9 °
28.9 °
94 %
3.6kmh
40 %
Sex
29 °
Sáb
30 °
Dom
30 °
Seg
30 °
Ter
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaCrematórios sobrecarregados na China com explosão de casos

      Crematórios sobrecarregados na China com explosão de casos

      Vários crematórios chineses admitiram estar sobrecarregados devido a uma onda de casos de Covid-19, apesar de o número oficial de mortos divulgado pelas autoridades ser reduzido, noticiou ontem a agência francesa AFP.

      Após protestos de rua, a China terminou abruptamente, no início de Dezembro, a maior parte das medidas da política de “Covid zero”, incluindo os testes obrigatórios, o que fez disparar o número de casos no país asiático com 1.400 milhões habitantes.

      No relatório mais recente sobre a Covid-19, as autoridades chinesas deram conta ontem de cinco mortes e 2.722 novas infecções nas últimas 24 horas, mas não tinham reportado casos fatais entre 28 de Maio e 19 de Novembro.

      De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a China comunicou mais de 10 milhões de casos de infecção e 31.309 mortes entre 2 de Janeiro de 2020 e 19 de Dezembro.

      O Instituto de Métricas e Avaliação da Saúde (IHME), com sede nos Estados Unidos, previu recentemente que o levantamento abrupto das restrições rigorosas da Covid-19 na China poderá resultar numa explosão de casos e mais de um milhão de mortes nos próximos meses. Milhões de chineses vão deslocar-se durante as festividades do ano novo lunar, em Janeiro, o que deverá contribuir para o aumento de infecções.

      Numa ronda feita pela AFP, funcionários de crematório chineses disseram que o número de mortos aumentou nas últimas semanas, sem precisarem, contudo, quantas dessas mortes estarão relacionadas com a Covid-19.

      Em Chongqing, uma cidade-província com uma população de mais de 30 milhões de habitantes, um crematório ficou sem espaço para armazenar os corpos. O número de corpos nos últimos dias é “muito superior ao anterior”, disse um funcionário, que pediu para não ser identificado por razões de segurança. “Estamos todos muito ocupados, não há mais espaço para os corpos nas câmaras frigoríficas”, acrescentou.

      Uma situação semelhante prevalece no outro extremo do país. “Claro que estamos ocupados, que lugar não está ocupado neste momento?”, respondeu um funcionário de um crematório em Baoding, perto de Pequim. A capital chinesa e os seus 22 milhões de habitantes foram particularmente atingidos pela Covid-19, que se espalhou rapidamente nos últimos dias.

      As cinco mortes comunicadas pelas autoridades na terça-feira, ocorreram na capital da China, depois de duas no dia anterior. Peritos consideram que estes números são largamente subestimados, segundo a AFP. A agência francesa viu mais de uma dúzia de veículos à espera de entrar no crematório de Dongjiao, em Pequim, na terça-feira, na sua maioria carros funerários com fitas escuras e coroas de flores. Um condutor na fila disse à AFP que estava à espera há várias horas.

      Um crematório na cidade de Cantão, descreveu a situação como “extremamente preocupante”. “Estamos a cremar mais de 40 corpos por dia, em comparação com cerca de uma dúzia anteriormente. Estamos três a quatro vezes mais ocupados do que nos anos anteriores”, disse um funcionário, sob condição de não ser identificado.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau