Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens quebradas
30.4 ° C
30.4 °
30.4 °
78 %
6.5kmh
83 %
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioPolíticaChefe do Executivo mostra-se satisfeito com a resposta do Governo face à...

      Chefe do Executivo mostra-se satisfeito com a resposta do Governo face à pandemia

      Nas comemorações do 23.º aniversário da RAEM, o Chefe do Executivo olhou para os últimos três anos e afirmou que o período mais crítico da pandemia foi ultrapassado. Na opinião de Ho Iat Seng, o Governo tem vindo a superar os desafios da Covid-19. Ainda assim, Ho reconhece os "severos impactos" provocados na economia do território, afectando a vida e o emprego dos residentes.

      Por ocasião das comemorações do 23.º aniversário da RAEM, o Chefe do Executivo afirmou, no seu discurso, que “os tempos mais difíceis” provocados pela pandemia têm vindo a ser superados. “Ultrapassámos o período mais crítico”, declarou Ho Iat Seng.

      “Ao longo destes últimos três anos, a volatilidade da pandemia de pneumonia causada pelo novo tipo de coronavírus provocou severos impactos na economia de Macau, na vida e no emprego dos seus residentes. A descida drástica da economia atingiu de forma severa e sem precedentes a vida profissional e quotidiana dos residentes”, reconheceu Ho Iat Seng, mostrando-se, ainda assim, satisfeito com o desempenho do Executivo que lidera: “Ultrapassámos o período mais crítico, em que enfrentámos novos coronavírus altamente patogénicos, nomeadamente o vírus Covid-19 original e sua variante Delta, e vencemos o grave surto de 18 de Junho”.

      Notando que a taxa de infecção, de casos graves e de mortes “tem-se mantido, de um modo geral, num nível relativamente baixo”, o Chefe do Executivo indicou que as autoridades têm “envidado os maiores esforços para alcançar o melhor resultado possível na prevenção e controlo da pandemia, consolidando e aperfeiçoando as medidas de prevenção e controlo da pandemia”.

      O Chefe do Executivo olhou também para o futuro e adiantou que, no próximo ano, o Governo vai “optimizar as medidas de prevenção epidemiológica de acordo com a evolução pandémica”. Ho salientou que o Governo de Macau continuará a seguir as directrizes do Governo Central, sendo que agora “a ênfase passou da prevenção e controlo de infecção para o tratamento médico, com vista à protecção da saúde da população e à prevenção de casos graves”.

      Ho Iat Seng apontou que o Executivo vai “estudar e avaliar de perto a evolução pandémica e a situação patogénica dos doentes, disponibilizar, de forma razoável, recursos médicos, envidar os maiores esforços para reduzir a taxa de casos graves e de morte, e proteger ao máximo a segurança da vida e da saúde dos residentes”.

      “Os primeiros raios do dia começam a despontar, e os tempos mais difíceis têm vindo a ser superados”, disse mesmo o Chefe do Executivo, acrescentando: “Espero que todos os sectores sociais e toda a população continuem a apoiar e cooperar com as acções de prevenção e controlo da pandemia do Governo nesta nova fase, contribuindo em conjunto para a recuperação económica e regresso da sociedade à normalidade”.

       

      FOCO NO PRINCÍPIO “UM PAÍS, DOIS SISTEMAS”, POPULAÇÃO E DIVERSIFICAÇÃO DA ECONOMIA

      No discurso, o Chefe do Executivo disse-se empenhado na implementação do princípio “Um País, Dois Sistemas”, tendo vindo a promover “de forma sólida, as diversas acções governativas em prol do desenvolvimento contínuo da RAEM em todos os aspectos”.

      O líder do Executivo afirmou também que, ao longo dos últimos três anos, a governação tem sido “vocacionada para a população”. “[O Governo] tem sempre colocado como prioridade a salvaguarda e melhoria das condições da vida da população, com ênfase, designadamente, nas questões de emprego, habitação, assistência médica e apoio aos idosos”, disse.

      Ho lembrou também que o Governo lançou rondas de medidas em prol da estabilização da economia, da garantia do emprego e da atenuação das dificuldades da população, bem como benefícios de carácter permanente atribuídos aos residentes de Macau no valor de cerca de 68,3 mil milhões de patacas, a que se somam cerca de 32,3 mil milhões de patacas correspondentes às despesas reais com os planos de apoio financeiro para mitigação dos impactos da pandemia, o que totaliza aproximadamente 100,6 mil milhões de patacas. “Temos vindo a implementar, de forma ordenada, a política de desenvolvimento de cinco classes de habitação, a aperfeiçoar o sistema de segurança social e a prestar apoio aos grupos mais vulneráveis”, acrescentou.

      O Chefe do Executivo não esqueceu a diversificação da economia e recordou que as autoridades têm promovido outras indústrias, para além do jogo, designadamente a da ‘big health’, “com base no Centro Médico de Macau do Peking Union Medical College Hospital e na investigação, desenvolvimento e produção de medicamentos tradicionais chineses”.

      Além disso, há “a indústria financeira moderna, a indústria da tecnologia de ponta, as indústrias de convenções e exposições e comercial e as indústrias cultural e desportiva, tendo em vista o enriquecimento do conteúdo do Centro Mundial de Turismo e Lazer e a promoção ordenada do desenvolvimento adequado e diversificado da economia”. Quanto ao sector do jogo, Ho lembrou que foi revista a legislação e foram assinados os novos contratos de concessão, “proporcionando bons alicerces para o desenvolvimento saudável e ordenado do sector do jogo nos termos da lei”.

       

      “É O MOMENTO PERFEITO PARA NOS FAZERMOS À VELA E AVANÇARMOS”

      O Governo, apontou o Chefe do Executivo, “tem vindo a persistir na governação à luz da lei, na defesa da segurança do Estado e na elevação constante da capacidade e do nível de governação”. “Temos vindo a implementar o princípio fundamental ‘Macau governada por patriotas’, a impulsionar, de forma ordenada, a revisão da lei relativa à defesa da segurança do Estado e a implementar aprofundadamente o conceito geral de segurança nacional”, sublinhou.

      Por outro lado, o Governo concluiu os trabalhos de produção legislativa “conforme o planeado” e tem “promovido a utilização racional dos recursos terrestres e o melhoramento das infra-estruturas urbanas”. O Governo também se tem empenhado na integração na conjuntura nacional, através da participação no projecto da Grande Baía e na iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”. “A construção da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin conheceu resultados notórios nas suas várias fases e a construção de ‘um Centro, uma Plataforma, uma Base’ tem vindo a ser promovida de forma estável”, frisou.

      Ho afirmou que Macau “entrará numa nova fase de desenvolvimento após a pandemia”. “Mantemo-nos convictos de que, com as garantias proporcionadas pelo princípio ‘Um País, Dois Sistemas’, o firme apoio da grande pátria e a conjugação de esforços de todos os sectores sociais e de toda a população, Macau irá ultrapassar as dificuldades e criar um novo cenário de desenvolvimento”, exclamou, terminando: “Com o vento a nosso favor, é o momento perfeito para nos fazermos à vela e avançarmos”.

      No fim do discurso, Ho Iat Seng brindou à “prosperidade e à grandeza da mãe-pátria” e ao “brilhante futuro” da RAEM.