Edição do dia

Quarta-feira, 19 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
29 ° C
29.9 °
28.9 °
94 %
3.6kmh
20 %
Ter
29 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioPolíticaRon Lam pede transparência no número de infectados

      Ron Lam pede transparência no número de infectados

      Numa interpelação escrita enviada à Assembleia Legislativa, o deputado Ron Lam insta a que as autoridades voltem a divulgar o número diário de casos positivos da infecção, para eliminar os “pânicos desnecessários” na sociedade. O parlamentar frisou que a pandemia ainda não chegou ao seu pico e pediu que sejam revistos, quanto antes, os procedimentos actuais de triagem e avaliação médica para os infectados.

      As autoridades de saúde devem continuar a divulgar o número de casos infectados, com vista à transparência das informações epidémicas, e devem também simplificar o processo de triagem e consulta dos doentes, particularmente das pessoas de alto risco e com doenças graves, defendeu o deputado Ron Lam numa interpelação escrita apresentada à Assembleia Legislativa.

      O deputado considera que o facto de o Governo ter deixado de publicar os casos positivos está a “dificultar a avaliação da situação da pandemia por parte da sociedade e dos profissionais médicos, sendo mais provável que a falta de transparência nas informações cause pânico público”.

      Ao contrário do que fez durante três anos, o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus anunciou na passada quinta-feira que já não vai divulgar mais os dados das infecções assintomáticas, sendo apenas feita a divulgação dos casos sintomáticos. Macau passa a adoptar este método ao seguir a Comissão Nacional de Saúde, do interior da China, que justificou a medida com o facto de “as medidas actuais de teste de ácido nucleico para a Covid-19 serem de carácter voluntário”, fazendo com que “muitos assintomáticos não participem nos testes de ácido nucleico, por essa razão torna-se impossível apurar com precisão o número real de infecções assintomáticas”.

      Ron Lam, neste caso, solicitou às autoridades que voltem a publicar o número de todos os novos casos positivos registados a cada dia, de forma a que o público possa compreender a situação real da evolução da pandemia e preparar-se para evitar “mal-entendidos e pânicos desnecessários” causados ​​pela opacidade das informações.

      “Tomando como referência a abordagem da região vizinha, em Hong Kong, embora o número de novos casos confirmados por dia tenha atingido dezenas de milhares, novos casos positivos de teste de ácido nucleico e teste rápido de antígeno continuam a ser anunciados na internet pelo Governo. Mesmo que os dados não sejam 100% precisos, valem como referência”, realçou.

      Por outro lado, Ron Lam destacou ainda na sua interpelação que recebeu várias queixas de cidadãos sobre a morosidade no processo de triagem para infectados. Segundo os relatos, desde a implementação do isolamento domiciliário, muitos dos idosos e crianças que testaram positivos foram ao Centro Hospitalar Conde de São Januário para avaliação médica no departamento de urgência, foram, contudo, informados de que teriam de esperar pela entrada no Centro Clínico de Saúde Pública do Alto de Coloane, ao longo de mais de dez horas.

      Ron Lam salientou que a actual situação da pandemia em Macau ainda não atingiu o seu pico, pelo que é necessário que as autoridades revejam a actual eficácia da avaliação e triagem e simplifiquem o processo de avaliação para reduzir o eventual sofrimento dos doentes.

      Sublinhando o aumento contínuo dos casos positivos, o deputado disse estar atento ao primeiro caso morte após o alívio das restrições, de uma idosa que faleceu um dia após o diagnóstico. O deputado pede revisão do mecanismo de encaminhamento de casos, a quatro níveis de triagem, bem como a distribuição de pessoal médico nas diferentes partes de instituições médicas, para garantir a monitorização e recepção do atendimento oportuno dos doentes necessitados.

      O deputado sugeriu ainda que o Governo estude adoptar os testes de ácido nucleico de amostra única em todas as testagens em Macau, para diminuir o impacto dos resultados positivos nos testes de ácido nucleico das amostras mistas da população, propondo ainda baixar o custo dos testes e a substituição dos testes de ácido nucleico por teste rápido na passagem fronteiriça.