Edição do dia

Domingo, 14 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
30.9 °
27.9 °
78 %
3.6kmh
40 %
Dom
28 °
Seg
27 °
Ter
27 °
Qua
27 °
Qui
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaHong Kong levanta restrições à chegada ao território

      Hong Kong levanta restrições à chegada ao território

      A região vizinha levanta, a partir de hoje, todas as restrições para quem chega. Até aqui, quem chegava a Hong Kong tinha de cumprir três dias de autogestão de saúde, com código de saúde amarelo. Agora, quem chega não tem de cumprir nenhum requisito e, desde que apresente um teste negativo à Covid-19 à chegada, pode circular livremente pela cidade.

      Hong Kong vai levantar a partir de hoje todas as restrições de viagem a quem chega à cidade com teste negativo à Covid-19, noticiou o jornal local South China Morning Post (SCMP).

      O Chefe do Governo de Hong Kong, John Lee Ka-chiu, anunciou as novas medidas antes do encontro semanal com o Conselho Executivo, de acordo com a publicação diária em língua inglesa.

      Até agora, quem chegava à RAEHK, tinha de cumprir o regime ‘0+3’, sem necessidade de cumprir quarentena em hotel, mas com três dias de autogestão médica domiciliária, mantendo-se durante esse período o código de saúde amarelo, que proibia, por exemplo, a entrada em restaurantes.

      Com a nova medida, Hong Kong adopta o regime ‘0+0’ e todas as chegadas ao território com teste negativo à Covid terão código de saúde azul, o que significa que podem andar livremente pela cidade, destacou o SCMP. De acordo com as novas regras, quem testar positivo, mantém o código de saúde vermelho e é obrigado a respeitar o actual protocolo de isolamento.

      Lee disse ainda que, a partir de hoje, os residentes já não terão de fazer a leitura do código QR para registar a entrada em locais da cidade, embora os clientes de restaurantes e pessoas que visitem determinadas instalações ainda precisem de mostrar o registo da vacinação.

      “As decisões têm como base dados e riscos. O risco de infecção dos casos importados é menor que o risco de infecções locais. Acreditamos que o levantamento [das medidas] não vai aumentar o risco de surtos locais”, salientou Lee, citado pelo SCMP.

      Sobre uma possível abertura da fronteira entre Hong Kong e o interior da China, Lee disse que o Governo tem estado a negociar activamente com as autoridades centrais. “As autoridades do interior também dão muita importância a isto”, acrescentou.

      Na semana passada, Hong Kong aliviou as medidas de quarentena e isolamento, depois de uma alteração à política ‘zero Covid’ por parte de Pequim.

      Um aumento de infecções diárias tinha impedido a cidade de levantar as regras de distanciamento social, lembrou o jornal. As autoridades de saúde de Hong Kong registaram um total de 14.717 casos na segunda-feira, 5% dos quais importados. De acordo com dados da Universidade Johns Hopkins dos Estados Unidos, Hong Kong ultrapassou as 2,2 milhões de infecções e registou 10.959 mortes desde o início da pandemia da Covid-19.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau