Edição do dia

Sexta-feira, 19 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
26.8 ° C
27.9 °
26.5 °
89 %
8.8kmh
40 %
Sex
28 °
Sáb
28 °
Dom
25 °
Seg
24 °
Ter
26 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeRui Leão e Carlotta Bruni recebem prémio da UNESCO

      Rui Leão e Carlotta Bruni recebem prémio da UNESCO

      A UNESCO atribuiu ontem um prémio de inovação em construção aos arquitectos Rui Leão e Carlotta Bruni por um edifício de serviços construído na zona antiga de Macau. O edifício, que junta um depósito de lixo e um posto de transformadores, é um exemplo de “um novo design inovador num contexto de património mundial”, de acordo com uma declaração publicada no ‘site’ da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), que atribui os prémios “Conservação do Património Cultural na Ásia-Pacífico”, em Banguecoque. O projecto “integra-se habilmente num cenário desafiante, num lote urbano apertado, na zona tampão do Centro Histórico do Património Mundial de Macau”, em que a nova estrutura “cria uma interação com as casas vizinhas e o espaço público”, acrescentou o júri dos prémios, que analisou um total de 50 entradas de 11 países e regiões da região da Ásia-Pacífico. Rui Leão, também presidente do Conselho Internacional dos Arquitetos de Língua Portuguesa (CIALP), sublinhou que este prémio da UNESCO veio mostrar a importância “de intervir de forma exemplar numa cidade com património mundial”, distinguido “por ser notável e excecional”.

      Afirmando “estar radiante com este prémio”, o arquitecto considerou que a distinção “é a confirmação de que Macau consegue produzir arquitectura de excepção em ambiente de património e [este projecto] é um exemplo para demonstrar que é possível inserir novas infraestruturas num contexto histórico sem o desqualificar e, além disso, torná-lo mais interessante e rico”.

      Trata-se de um sítio “muito qualificado, muito especial [junto do Pátio da Eterna Felicidade], onde se encontram um urbanismo português e um urbanismo chinês”, explicou. “Urbanismos completamente diferentes que colidem um com o outro em diferentes pontos da cidade, por isso fizemos neste projecto um exercício de encontro que mantém a continuidade e o torna extraordinário”, disse Rui Leão. Desde 2000, o programa de Prémios Ásia-Pacífico da UNESCO para a Conservação do Património Cultural tem vindo a reconhecer os esforços de indivíduos e organizações privadas na restauração, conservação e transformação de estruturas e edifícios de valor patrimonial na região.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau