Edição do dia

Quarta-feira, 7 de Dezembro, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
15.9 ° C
17.1 °
15.9 °
77 %
8.2kmh
20 %
Qua
20 °
Qui
21 °
Sex
22 °
Sáb
22 °
Dom
21 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Desporto Portugueses em quinto e sexto lugar nos treinos livres do Grande Prémio...

      Portugueses em quinto e sexto lugar nos treinos livres do Grande Prémio de Motos

      Os pilotos lusos Sheridan Morais e André Pires apresentaram-se em grande estilo no primeiro e único dia de treinos livres da prova de motos no 69.º Grande Prémio de Macau. Outros destaques do dia vão para Edoardo Mortara e Alexandre Imperatori. Os suíços foram reis e senhores nos primeiros treinos livres da Taça GT Macau. Na Taça de Carros de Turismo de Macau, os principais candidatos, como Robert Huff ou Rodolfo Ávila, fizeram um treino inconstante.

      O 69.º Grande Prémio de Macau, marcado pelo regresso de pilotos estrangeiros, arrancou ontem com treinos livres, nos quais os dois portugueses inscritos ficaram no quinto e sexto lugares na 54.º Grande Prémio de Motos.

      No primeiro, e único, treino livre para a prova de duas rodas, Sheridan Morais – português nascido na África do Sul – ficou em quinto lugar, a 6,1 segundos do primeiro. Um lugar atrás, com mais 0,7 segundos, apareceu André Pires. O transmontano, natural de Vila Pouca de Aguiar, já vai na sua oitava participação no Circuito da Guia. “Corri bem. Fiquei satisfeito com os treinos livres e estou confiante para a qualificação de amanhã [hoje]. Penso que um bom resultado é ficar no top10”, referiu o piloto ao PONTO FINAL.

      A estrear-se numa mota Honda pela primeira vez, André Pires mostrou-se bastante surpreendido pela positiva. “É uma bela mota. É a primeira vez que estou a correr com a marca nipónica, mas estou agradavelmente impressionado. Claro que a mota tem pequenos pormenores que não são bem para uma pessoa da minha estatura e peso, mas portou-se muito bem nos treinos”, acrescentou, enquanto fazia a vez de mecânico a mudar a cremalheira e a corrente da sua mota, para tirar mais proveito na velocidade.

      O mais rápido entre as motos foi o finlandês Erno Juhani Kostamo, que gastou 2.31 minutos para completar os 6,2 quilómetros do circuito da Guia. Nota ainda para Nadieh Schoots, a primeira mulher a competir em motas em Macau, que chegou a raspar nos rails de protecção na saída do Curva Melco, mas conseguiu manter-se na moto.

      Outros destaques do dia vão para Edoardo Mortara e Alexandre Imperatori. Os suíços foram reis e senhores nos primeiros treinos livres da Taça GT Macau, tendo Mortara feito o melhor tempo nos primeiros treinos livres e Imperatori o melhor tempo nos segundos treinos livres. Contudo, nomes como Raffaelle Marciello, Maro Engel ou Darryl O’Young estão da peugada da dupla suíça.

      Na Taça de Carros de Turismo de Macau, os principais candidatos, como Robert Huff ou Rodolfo Ávila, fizeram um treino inconstante. A ambientarem-se ao MG5 XPower, Ávila ficou com o sexto melhor tempo nos primeiros treinos livres e Huff em 14.º. Já nos segundos treinos livres, Huff fez o segundo melhor tempo e o português, radicado em Macau, quedou-se pela 10.ª posição.

      Uma palavra ainda para a Fórmula 4 onde o piloto de Macau Charles Leong fez o melhor tempo no primeiro treino do dia, tendo realizado o terceiro melhor tempo no segundo treino onde Andy Chang, também de Macau, foi o mais rápido.

      O evento, de quatro dias, integra sete corridas: Grande Prémio de Macau de Fórmula 4, a Taça GT Macau, Corrida da Guia Macau, a Taça de Carros de Turismo de Macau, a Taça GT Grande Baía, Macau Roadsport Challenge e o Grande Prémio de Motos de Macau, que regressa ao Circuito da Guia para a sua 54.ª edição.

      Para este ano, o orçamento é de 180 milhões de patacas, ligeiramente superior ao do ano passado, com o patrocínio das seis operadoras de jogo no território: Sociedade de Jogos de Macau, Galaxy, Wynn, MGM, Sands China e Melco.

      O público terá de usar máscara, manter o distanciamento social, medir a temperatura e apresentar um código de saúde de cor verde à entrada no recinto do Grande Prémio de Macau, numa altura em que a cidade voltou a registar novos casos de Covid-19.

      *com Lusa