Edição do dia

Terça-feira, 16 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
26.1 ° C
27.1 °
25.9 °
94 %
1.5kmh
40 %
Seg
26 °
Ter
28 °
Qua
28 °
Qui
28 °
Sex
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioPolíticaGoverno diz que preveniu "destruição de Macau" por forças externas e terroristas

      Governo diz que preveniu “destruição de Macau” por forças externas e terroristas

      O Executivo diz que, este ano, foi “prevenida a interferência e a destruição de Macau” por forças externas e elementos relacionados com o terrorismo. “[Em 2022] Foi, de forma abrangente e eficaz, prevenida a interferência e a destruição de Macau por forças externas e elementos relacionados com o terrorismo”, afirmou o Chefe do Executivona apresentação das Linhas de Acção Governativa para o próximo ano.

      No balanço sobre os trabalhos realizados este ano, Ho Iat Seng abordou o assunto da segurança nacional, descrevendo-a mesmo como “fundação da estabilidade social”, e disse que o resultado da consulta pública sobre a revisão da lei de segurança nacional – em que mais de 90% das opiniões eram favoráveis – demonstra “a forte e sólida base social e política caracterizada pelo amor pela pátria e por Macau”.

      Por outro lado, o Chefe do Executivo lembrou que, em 2022, foi promovida a construção de um sistema de segurança interna, nomeadamente com a entrada em vigor do regime jurídico da segurança contra incêndios em edifícios e recintos e diplomas complementares e a aprovação pela Assembleia Legislativa na especialidade da proposta de lei do controlo de substâncias perigosas.

      Foi também “desenvolvida constantemente a implementação de vários serviços policiais inteligentes, bem como foi iniciada a construção da 5.ª fase do sistema Olhos no Céu”. “Foi implementado proactivamente o modelo moderno de defesa civil para aumentar ainda mais a eficácia da mesma. Foi reforçado o trabalho de prevenção e erradicação da criminalidade e combatidos eficazmente diferentes tipos de actividades ilegais e criminosas”, apontou ontem o Chefe do Executivo.