Edição do dia

Quarta-feira, 7 de Dezembro, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu limpo
17.9 ° C
21.6 °
17.9 °
72 %
7.2kmh
0 %
Qua
19 °
Qui
22 °
Sex
22 °
Sáb
22 °
Dom
21 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Internacional Reconquista de Kherson "é o início do fim da guerra", diz Zelensky

      Reconquista de Kherson “é o início do fim da guerra”, diz Zelensky

      O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, cantou ontem o hino nacional em Kherson, cuja reconquista pelas forças ucranianas saudou como o “início do fim da guerra” iniciada pela Rússia há quase nove meses. As forças ucranianas entraram na cidade de Kherson na sexta-feira, após a retirada de milhares de soldados russos para a margem oriental do Rio Dniepre, que divide a região do sul da Ucrânia anexada pela Rússia em 30 de Setembro. “Este é o início do fim da guerra”, disse Zelensky, citado pela agência norte-americana AP. “Estamos passo a passo a chegar a todos os territórios temporariamente ocupados”, disse, acrescentando que a Ucrânia pagou um “preço elevado” em mortos e feridos para reconquistar Kherson após uma “luta feroz”. Zelensky passeou nas ruas de Kherson, distribuiu medalhas aos soldados e participou numa cerimónia do içar da bandeira nacional no centro da capital da região, que tem o mesmo nome.

      Num um vídeo colocado no Twitter pelo seu gabinete e descrito pela agência francesa AFP, Zelensky aparece com a mão sobre o coração a cantar palavras do hino nacional diante de soldados e residentes: “os nossos inimigos perecerão, como orvalho ao sol, e nós também, irmãos, governaremos, no nosso país”. As imagens de vídeo também o mostram a acenar a residentes que lhe acenaram da janela de um apartamento e gritaram “glória à Ucrânia”, a que o grupo em que estava Zelensky respondeu “glória aos heróis”. Poucas horas antes, no seu já habitual vídeo noturno, Zelensky tinha alertado os ucranianos para a possibilidade de as forças russas terem deixado armadilhas e minas antes da sua retirada, segundo a AP. Zelensky apareceu anteriormente de forma inesperada noutras zonas da linha da frente, em momentos cruciais da guerra, para apoiar as tropas e felicitá-las por sucesso no campo de batalha.

      Em Moscovo, o porta-voz do Kremlin (Presidência) recusou-se a comentar a visita de Zelensky a Kherson, limitando-se a reafirmar que se trata de “território da Federação Russa”. Além de Kherson, a Rússia anexou ao mesmo tempo as regiões ucranianas de Zaporijia (sul), e Donetsk e Lugansk, no Donbass (leste). A Rússia já tinha anexado a península ucraniana da Crimeia em 2014. A Ucrânia e a generalidade da comunidade internacional não reconhecem a soberania russa nas regiões anexadas. Ao formalizar a anexação das quatro regiões, em 30 de Setembro, o Presidente russo, Vladimir Putin, ameaçou recorrer a todos os meios, incluindo armas nucleares, para defender a integridade territorial da Rússia. As forças russas ocuparam Kherson em 02 de março, mas o seu controlo sobre a capital e a parte localizada na margem ocidental do Dniepre durou 254 dias, de acordo com a publicação russa independente Novaya Gazeta.Europe. A reconquista de Kherson é considerada como um dos maiores sucessos das forças ucranianas na guerra com a Rússia. A contraofensiva foi lançada depois de a Ucrânia ter recebido armamento dos seus aliados ocidentais.

       

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau