Edição do dia

Segunda-feira, 17 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
29.9 °
27.9 °
94 %
4.6kmh
40 %
Dom
28 °
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioPolíticaLAG 2023: População preocupada com apoios económicos e política de habitação

      LAG 2023: População preocupada com apoios económicos e política de habitação

      O Chefe do Executivo vai hoje apresentar as Linhas de Acção Governativa (LAG) para o próximo ano e a Federação das Associações dos Operários de Macau revelou o resultado de um inquérito feito à população que diz que a maioria dos cidadãos se preocupa com os apoios económicos e com as questões da habitação. Já a União Geral das Associações dos Moradores de Macau revelou que os jovens estão preocupados com a situação do emprego.

       

      Antes de o Chefe do Executivo divulgar as Linhas de Acção Governativa (LAG) para 2023, a Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM) e a União Geral das Associações dos Moradores de Macau revelaram os resultados de inquéritos que realizaram junto da população. Os Operários concluíram que os residentes estão mais preocupados com as ajudas económicas a serem concedidas pelo Governo. Já os Moradores apontam que os jovens estão apreensivos quanto à situação do emprego.

      A FAOM recolheu as opiniões de 1.826 residentes. Desses, 42,7% dos inquiridos disseram estar preocupados com as medidas de assistência económica, nomeadamente com o cartão de consumo e subsídios para as despesas de subsistência. Além disso, entre estas preocupações também estão os preços dos combustíveis, noticiou a TDM-Rádio Macau em língua chinesa.

      Os residentes esperam que o Governo continue a apoiar a classe média e a melhorar o grupo-alvo para concessão de apoios económicos, bem como reforçar a fiscalização aos preços. Além disso, Leong Sun Iok, deputado ligado à associação, indicou que o público também está preocupado com a política de habitação económica e de sanduíche. Assim, a FAOM sugeriu que o Governo fixasse um “preço razoável” para a habitação económica com base no custo.

      Os Moradores também realizaram um inquérito, mas neste caso especificamente junto dos jovens. O jornal Ou Mun cita os resultados desse inquérito e indica que as principais preocupações da camada mais jovem da sociedade se prende com a situação do emprego, a política de habitação e os cuidados médicos e de saúde.

      Segundo os resultados do inquérito, alguns jovens esperam que o Governo introduza mais medidas de desenvolvimento económico e melhoria da situação de emprego. Por isso, os Moradores sugeriram ao Governo aumentar o número de programas e lugares de formação profissional em resposta às necessidades do desenvolvimento futuro de Macau, “de modo a ajudar os jovens a transformar as suas carreiras e a promover o desenvolvimento diversificado de Macau”.

      Por outro lado, o inquérito da associação revelou também que os jovens estão “mais confiantes” no desenvolvimento da indústria cultural e turística de Macau. Segundo os Moradores, mais de metade dos jovens estão confiantes de que Macau pode desenvolver a sua indústria financeira e acreditam que o Governo pode dar prioridade ao desenvolvimento das indústrias culturais, turísticas e financeiras no processo de promoção contínua da diversificação industria.

      Além disso, a associação recomenda que o Governo avance para a construção de habitação para a classe sanduíche e acelere a abertura de candidaturas para habitação pública, “de modo a que os jovens possam planear a propriedade da casa de acordo com as suas capacidades e necessidades, e aumentar a confiança da geração mais jovem”.

       

      Chefe do Executivo apresenta hoje Linhas de Acção Governativa para 2023

       

      Ho Iat Seng vai apresentar hoje, pelas 15h, o Relatório das Linhas de Acção Governativa para o ano financeiro de 2023, na Assembleia Legislativa (AL). Segue-se, pelas 17h, uma conferência de imprensa a partir da Sede do Governo, onde o Chefe do Executivo irá responder às questões da imprensa. Amanhã, Ho Iat Seng voltará ao hemiciclo, pelas 15h, para responder às questões dos deputados. O debate das linhas de acção sectoriais será realizado sucessivamente, por esta ordem: Área da Administração e Justiça, no dia 21 de Novembro; Área da Economia e Finanças, no dia 23 de Novembro; Área da Segurança, no dia 25 de Novembro; Área dos Assuntos Sociais e Cultura, no dia 28 de Novembro; e Área dos Transportes e Obras Públicas, no dia 30 de Novembro.